Manaus, 18 de julho de 2024

Cotidiano Baré

Fotos: Reprodução
Fotos: Reprodução Fotos: Reprodução

Blogueira flagrada em festa retorna ao Instagram admitindo erro e dizendo não ser ‘imaculada’

Em março, Raphaella participou de uma festa que é investigada pela PC.

Por Rosianne Couto

Demorou exatos 28 dias o tempo de reclusão que a blogueira Raphaella Moura usou para refletir e, enfim, aparecer aos seus seguidores e comentar sobre sua participação na festa de aniversário do filho de um empresário de Manaus. A festa, inclusive, é investigada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) por infringir as normas de prevenção e combate à proliferação do coronavírus.

No início da noite desta quinta-feira (22/4), a blogueira, que divulga marcas conceituadas do Amazonas, como a Bemol e a Sapatinho de Luxo, deu às caras no Instagram – sua principal ferramenta de trabalho – para pedir desculpas pela atitude e, também, para desabafar sobre os prós e contras de quem, como ela, escolhe ganhar a vida na Internet.

Sequência de fotos mostra Raphaella Moura entregando cilindros no Amazonas, em festa com aglomeração e pedindo desculpas no Instagram. Fotos: Reprodução

SÉRIE DE STORIES

Raphaella usou uma sequência longo de stories, quase 20 minutos de vídeo, para explicar que precisou dar um tempo da rede social e se reconectar com ela mesmo. Ela, inclusive, disse ser grata por sempre cuidar da saúde mental porque, “caso contrário, não teria aguentado” as críticas e ataques que recebeu logo após a exposição do caso em que se envolveu.

NADA DESLEGITIMA

O auge do vídeo é quando a Rapha busca minimizar sua atitude falando aos seguidores que sempre está envolvida nas causas sociais e que ninguém pode deslegitimar o trabalho dela durante a crise de oxigênio que a rede de saúde do Amazonas viveu no final de fevereiro. Onde está escrito que fazer o bem dá a alguém o aval de descumprir regras que buscam o bem coletivo? Ah, faça-me o favor, né??! Parece que as boas ações da moça não são executadas de coração, mas para, posteriormente, serem usadas como moeda de troca caso aconteça algum deslize em sua caminhada.

NÃO SOU IMACULADA!

A blogueira disse que há várias Raphas nela e que o momento de reclusão vivido por ela serviu para que ela as abraçasse e as acolhesse para que seu retorno fosse feito de maneira que ela se sentisse mais segura e forte para aguentar os ataques. A influencer chegou a dizer que a mesma Rapha que ajuda as pessoas também precisa de ajuda e pediu para que as pessoas não a vissem de forma imaculada.

Veja o vídeo completo abaixo:

Pior que a Rapha, o Bolsonaro

A Raphaella não tinha obrigação nenhuma de deixar de lado suas atividades para ajudar o Estado. Ao contrário dela, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), podendo fazer uso das suas funções – inclusive fazendo bom uso da política internacional – foi totalmente omisso em relação ao caos que o Amazonas viveu no pico da segunda onda da pandemia. Mas, ao contrário dela, o presidente foi o escolhido da vez pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para receber o título de cidadão amazonense. Sim, você não leu errado. Bolsonaro, o líder de um governo negacionista em relação à Covid, de constantes ataques á Zona Franca de Manaus e que comete graves crimes ambientais vai será um dos nossos a partir desta sexta (23/4).

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!