Manaus, 20 de setembro de 2021

Gastronomia

Foto: Rodrigo Tomzhinsky
Foto: Rodrigo Tomzhinsky Foto: Rodrigo Tomzhinsky

Mostra de agricultura e gastronomia abre inscrições em Manaus

As atividades gratuitas serão realizadas ao longo do mês de setembro.

Da redação

A segunda edição da ‘Mostra Doc Agricultura e Gastronomia’ está com inscrições abertas em Manaus. Os inscritos poderão conferir a exibição da mostra de documentários e participar das oficinas agroecológicas e de culinária. As atividades são gratuitas e serão realizadas ao longo deste mês de setembro.

Alexandre Victor, um dos coordenadores da iniciativa, explica como o projeto funciona. “Consiste em em mostra cinemática (cineclube) e oficinas para mostrar o uso das panc (plantas alimentícias não convencionais) na culinária”, afirma.

Ele destaca que os documentários exibidos na mostra abordam a agricultura e a gastronomia. “[Os documentários] procuram abordar essa relação com base na evolução do regionalismo culinário e experiências de outros grupos coletivos e até países”, ressalta.

Um dos coordenadores do projeto, Alexandre Victor. Foto: Rodrigo Tomzhinsky

Programação

A primeira oficina da edição, ‘Agroecologia e Gastronomia’, será realizada no sábado (4/9) e domingo (5/8), no Centro de Treinamento Agroflorestal (CTA) do Museu da Amazônia.

Já o segundo evento será realizado no dia 11 deste mês de setembro, a partir das 16h. A oficina e a mostra cinemática vão ser realizadas na Comunidade Igreja Mundial de Cristo, na Rua São Joao, 663, Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus.

Nos dias 25 e 26 de setembro, a Mostra e Oficina Agroecológica será realizada na Zona Rural do município de Manacapuru, no Amazonas. O evento ocorrerá na Aldeia Tururukari-Uka, que fica situada em Ubim, Km 47 da Rodovia Manoel Urbano.

Inscrições

As vagas para participar dos eventos são limitadas. Quem tiver interesse deve entrar em contato pelo telefone: (92) 99202-4088.

Taxa

Para a oficina que será realizada no sábado e domingo (4 e 5 de setembro), os participantes deverão pagar uma taxa de transporte, no valor de R$ 15 (quinze reais).

Os inscritos também poderão levar uma muda de planta medicinal que possa ser trocada por plantas do canteiro do CTA do Musa.

A organização do evento marcou dois pontos de encontro para que os inscritos sejam levados para o local, e em dois horários diferentes.

Os pontos de encontro serão no Terminal 4, que fica na Avenida Camapuã, bairro Cidade Nova, e no Sítio Santa Rita km 06, no Ramal do Brasileirinho. As rotas ocorrerão no período da tarde de sexta-feira (3/9), e na manhã de sábado (4/9).

Os participantes ficarão hospedados durante o fim de semana no CTA do Museu da Amazônia. Outras informações podem ser obtidas no ato da inscrição. O Museu da Amazônia (Musa) fica na Avenida Margarita, 6305, bairro Cidade de Deus, Zona Norte de Manaus.

A segunda edição da ‘Mostra Doc Agricultura e Gastronomia’ está com inscrições abertas em Manaus. Foto: Rodrigo Tomzhinsky

Projeto

A coordenação da ‘Mostra Doc Agricultura e Gastronomia’ informou que o projeto promove a universalização da agroecologia. A ideia é incentivar a produção de alimentos de forma sustentável por meio da promoção de culturas desconhecidas e esquecidas da biodiversidade cultural amazônica.

Assim, o projeto permite que uma nova percepção seja criada e contribua para resgatar e trazer hábitos saudáveis de alimentação. A produção orgânica e agroecológica é a maior copensação ambiental do projeto, que diminui o uso de agrotóxicos e manejos intensivos.

O lançamento da segunda edição ocorreu no último domingo (29/9), no Cine Casarão, espaço dedicado à Sétima Arte do Centro Cultural Casarão de Ideias, Centro de Manaus.

O projeto da ‘Mostra Doc Agricultura e Gastronomia’, coordenado por Alexandre Victor e Nora Hauswirth, foi contemplado no edital de patrocínios ‘Eventos 2021’, do Banco da Amazônia.

Mostra

De acordo com informações da coordenação do projeto, os documentários que serão apresentados na ‘Mostra Doc Agricultura e Gastronomia’ destacam a importância da agroecologia para a sociedade Brasileira.

Ainda segundo a coordenação, as obras também falam do poder da agricultura familiar, dos camponeses, indígenas, quilombolas, que alimentam o país com “comida de verdade”, e incentivam a reflexão e debate sobre o tema junto ao público.

Conforme os organizadores, a coordenação do projeto entra em contato com os produtores/criadores dos documentários para solicitar a exibição com finalidade educacional.

Confira a lista dos documentários da mostra:

  • ‘Tapajós: uma breve história da transformação de um rio’
  • O custo Humano dos Agrotoxicos’,
  • ‘Arroz Ecológico: alimento iluminado’
  • ‘Doc PANC’
  • ‘Organic farming / Ital cooking’
  • ‘Receita PANC e mais’
  • ‘Histórias das flores (Story of Flowers)’

Oficinas

Entre as atividades do projeto está a realização de oficinas. Essas atividades buscam valorizar a culinária tradicional contextualizada com a alta gastronomia e agricultura familiar camponesa.

A atividade do próximo fim de semana, sábado e domingo, terá a participação de representantes gastronômicos e chefes de Manaus que já incluem as panc como ingredientes em seus cardápios.

Agricultores do assentamento, nutricionistas e merendeiras também participarão do evento.

Conforme informações da coordenação do projeto, a oficina será no Centro Treinamento Agroflorestal do Musa porque é onde o Movimento Arte & Escola na Floresta cultiva espécies de panc para divulgar conhecimento.

As oficinas visam valorizar a culinária tradicional contextualizada com a alta gastronomia e agricultura familiar camponesa. Foto: Rodrigo Tomzhinsky

Publicação

Após os eventos da mostra, o projeto publicará o resultado das atividades. O lançamento do e-book está em previsto para ocorrer em outubro.

A publicação reunirá os nomes das pessoas que usam as panc na gastronomia manauara, como Luizi Viana, merendeira da rede pública estadual que atua no movimento ‘Slow Food‘.

O e-book também terá novas receitas com as plantas, e ainda trará um mapeamento de pontos de comercialização, como por exemplo a ‘Casa da Pamonha’, o ‘Caxiri’ e o Sítio PANC, coordenado pelo professor Valdely Kinupp, que comercializa cestas e produtos, além de oferecer hospedagens e treinamentos.

Coordenação

Alexandre Victor Silva Ribeiro é agroecólogo formado pelo Instituto Federal do Amazonas (Ifam). Também é cozinheiro, gestor cultural e facilitador de processos de transformação social por meio do uso de metodologias participativas.

Em 2015, ele recebeu o Prêmio de Cultura Popular, da Secretária de Cultura e Economia Criativa do Amazonas (SEC-AM), para a ‘I Mostra Doc de Agricultura e Gastronomia’, que foi realizada em 2016.

Atua na mobilização de organizações e movimentos sociais na Região Metropolitana de Manaus e interior do Amazonas, promovendo intercâmbio de experiências e fortalecendo as redes locais.

Nora Hauswirth é produtora cultural, com mestrado em Curadoria pela Universidade de Arte em Zurique, na Suíça. Trabalhou em diversos museus, exposições e projetos culturais.

Desde 2017, viaja pelo Norte e Nordeste do Brasil com a Kombi ‘Tururu Cine’ pesquisando sobre agricultura sustentável em sistemas agroflorestais, distribuindo sementes e fazendo exposições itinerantes para levar arte e cinema aos interiores.

A coordenadora também produz fotografias, músicas, filmes e documentários sobre a conscientização ambiental, visando um auxílio prático de autoajuda e autossustentabilidade.

Também é fundadora do movimento Arte & Escola na Floresta (@arteescolanafloresta), no Centro Treinamento Agroflorestal do Musa, que divulga o conhecimento sobre culinária e agricultura de hortaliças não convencionais.

Apoio

O projeto tem apoio da Amazônia Socioambiental (@amazoniasocioambiental), Tururu Cine, Arte & Escola na Floresta, Centro de Treinamento Agroflorestal (CTA) – do Museu da Amazônia e Casarão de Ideias.

COMPARTILHE