Manaus, 18 de julho de 2024

Festivais

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook Foto: Reprodução/Facebook

J Carlos Portilho parte após luta contra Covid; bumbás e Prefeitura de Parintins lamentam

O compositor era um dos grandes ícones do Boi Caprichoso.

Da redação

O compositor José Carlos Portilho, popularmente conhecido como J Carlos Portilho, morreu nesta sexta-feira (16/4), aos 69 anos, após dias de luta contra a Covid-19 em São Paulo. Ele era um dos grandes ícones do Boi Caprichoso. O bumbá azul e branco, o Boi Garantido e a Prefeitura de Parintins lamentaram a partida.

Em nota de pesar, a Prefeitura de Parintins informou que, há alguns meses, J Carlos lutava contra a Covid-19. A nota cita um trecho da canção ‘Aos amigos do peito’, composição de Portilho.

“Compositor de toadas antológicas do Festival de Parintins e autor de uma das canções mais conhecidas em nosso município (Aos amigos do peito), J Carlos ficou marcado como um dos grandes poetas de nosso maior patrimônio cultural, o boi de Parintins”, diz o texto, assinado pelo prefeito de Parintins, Bi Garcia.

Segundo a prefeitura, J Carlos deixa um legado à cultura regional. “Em nome do povo de Parintins, externamos votos de pesar aos familiares e amigos”, conclui a nota.

Foto: Reprodução/Facebook

Bumbás lamentam

O Caprichoso também lembrou a música ‘Aos amigos do peito’. “Amigos que se consideram, no peito tem sempre um lugar, se partem, se ficam, se esperam, nem o tempo consegue apagar…” José Carlos Portilho – 986”, diz o trecho citado pelo bumbá.

A agremiação lamentou o falecimento do compositor. “Nosso amigo do peito José Carlos Portilho nos deixou hoje. Partiu levando consigo os acordes generosos do seu violão e os versos de sua poesia cabocla imortalizada os versos das toadas e canções amazônicas”, afirmou o Boi.

Na nota de pesar, o bumbá lembrou a trajetória do artista. “A colaboração de José Carlos Portilho para a música em Parintins, vai muito além da toada de boi, expressão musical da qual se tornou referência na década de 80, pelo Boi Caprichoso, o boi de sua predileção. Portilho também participou com louvor dos festivais da canção, alcançando sempre boas classificações com suas musicas”, ressaltou.

De acordo com o Caprichoso, J Carlos incentivou a música e acolhia os novos talentos em sua chácara. “Local que serviu muitas vezes para a gravação das fitas com as toadas oficiais”, escreveu.

“Vai deixar saudade, assim como as histórias engraçadas que ele sempre contava. Portilho é o nosso amigo do peito. Gigante em sua existência, imortal em sua obra, mais um querido que se despede em sua trajetória para ser imortalizado entre as estrelas desse nosso universo Caprichoso. Sim, ele faz parte da história e da memória de um povo, que brinca de boi, que dança, brinca e ama a cultura popular”, finalizou o bumbá.

Nas redes sociais, o Boi Caprichoso prestou solidariedade à família do compositor e ao Boi Caprichoso. “Me solidarizo com a família e com o boi contrário pela perda de Carlos Portilho, um dos maiores nomes da nação azul. Após 45 dias de muita luta, chegou a hora de descansar, que sua família e fãs fiquem em paz”, disse.

Segundo a Prefeitura de Parintins, além da carreira como compositor, durante muitos anos, J Carlos Portilho também se dedicou ao Banco do Brasil, onde foi funcionário de carreira.

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!