Manaus, 27 de novembro de 2022

Festivais

Juarez Lima e Irlani Cruz. Foto: Alexandre Vieira/Reprodução
Juarez Lima e Irlani Cruz. Foto: Alexandre Vieira/Reprodução Juarez Lima e Irlani Cruz. Foto: Alexandre Vieira/Reprodução

Boi Caprichoso faz homenagem à artista Irlani Lima, em Parintins

Esposa de Juarez Lima, ela faleceu por complicações da Covid-19.

Por Stephane Simões

O Boi Caprichoso fez uma homenagem, em frente ao Curral Zeca Xibelão, em Parintins, no Amazonas, à artista parintinense Irlani Maria da Cruz Fonseca Lima, 56, que faleceu nesta quarta-feira (3/02), vítima de complicações da Covid-19. Ela estava internada há mais de 20 dias, em uma unidade hospitalar, em Manaus. Irlani era casada com o artista plástico Juarez Lima.

O compositor do Caprichoso Juarez Filho, filho de Irlani, agradeceu a homenagem do bumbá, que, para ele, é uma forma de gratidão e reconhecimento aos anos em que sua mãe se dedicou e trabalhou pelo boi.

“É um momento muito difícil pra todos. Mas, o que levamos são os bons momentos, o legado que ela deixou, as suas paixões. Minha mãe brincou a vida toda no Boi Caprichoso, mesmo antes de reconhecer meu pai. Essa homenagem é muito gratificante, pois se reconhece o esforço. Meus pais deram a vida ao boi”, afirmou.

Juarez Lima e Irlani Lima. Foto: Alexandre Vieira/Reprodução

Na manhã desta quarta-feira, o artista Juarez Lima também dedicou uma homenagem à Irlani e publicou um vídeo, no Facebook, em que faz uma oração e relembra os bons momentos com a esposa. Ele também se recupera da Covid-19, em uma unidade hospitalar, em Manaus, onde está internado há 19 dias.

“Hoje, é um dia muito difícil. Deus levou para a sua glória a minha esposa amada. Uma mulher guerreira, obstinada, de grande resistência e de fé, dedicada, amorosa. Você vai fazer muita falta. Mas, tenha certeza, meu amor, que você combateu o bom combate, e agora descansa na graça de Deus”, falou.

Nas redes sociais, o Boi Caprichoso também registrou uma mensagem relembrando a passagem de Irlani pelo bumbá. Segundo o boi, ela sempre foi muito presente nos galpões de alegorias, nas pesquisas históricas, na concepção e construção de módulos que marcaram alguns dos principais festivais na arena do Bumbódromo.

“Cria do reduto da Sá Peixoto, o famoso ‘Esconde’, Irlani pertencia a uma família apaixonada e tradicional azul e branca. Brincou no boi da estrela na testa e foi destaque por vários anos nas tribos Sateré-Mawé e Marajoara. Irlani também chamava atenção por sua fé e devoção à Nossa Senhora do Carmo, padroeira de Parintins”, escreveu o bumbá.

COMPARTILHE