Manaus, 28 de novembro de 2022

Bares e Restaurantes

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Vetrina di Itália chega a Manaus com massas italianas para retirada na loja

A Vetrina di Itália será inaugurada na quinta-feira (26/11).

Com informações da assessoria

Manaus vai passar a contar com um espaço voltado aos sabores italianos. A Vetrina di Itália será inaugurada na quinta-feira (26/11), no Salvador Mall, no coração do Adrianópolis, na Rua Salvador, 449, ao lado do Vitello. A casa vai funcionar com o sistema de compra e retirada na loja.

Construída no meio da pandemia, a casa é a realização de um sonho da empresária e empreendedora Caroline Nijenhuis De Santis. Ela trouxe o chef italiano Daniel Buzzi, nascido na Lombardia, no norte da Itália, para comandar pessoalmente a cozinha, os ingredientes e a matéria-prima toda artesanal.

A Vetrina di Itália chega a Manaus abusando de ingredientes tradicionais. A loja aposta em sabores convencionais e contemporâneos, com toque homemade.

O espaço não terá mesas para serviço, apenas para o sistema de compra e retirada no balcão. A loja funcionará de 10h às 19h, de segunda-feira a sábado, e aos domingos, de 10h às 14h.

Cardápio

A Vetrina di Itália apresenta seu próprio modo de fazer comida com molhos e reduções aperfeiçoados pelo chef Buzzi. As massas são feitas à mão.

São receitas famosas, desconstruções ou releituras minimalistas. O cardápio da Vetrina se concentra em pastas, as massas frescas feitas artesanalmente pelo chef e equipe diariamente. Os produtos ficam prontos para retirada na loja.

Os molhos (sughi) são um capítulo à parte. A casa oferecerá Burro e Sálvia, o clássico Pomodoro e Basílico, Pesto Genovese, Alfredo com Grana Padano, o familiar Bolognese, o refrescante Burro Al Limone Siciliano, o Sugo Napoletano e o Boscaiola. O Sugo Napoletano vem de longa tradição de Nápoles, que leva vários cortes de carne e abusa do pomodoro pelati, peperoncino e tempo. Na Vetrina, ele será indicado para ser servido com um longo rigatoni e finalizado com uma chuva de queijo grana padano.

A loja possui uma coleção de antepastos – incluindo burrata, caponata, sardela, prosciuto di parma e mortadela Giulieta -, massas, pães, molhos e doces. Tudo é montado, para trazer a Itália até Manaus.

A personalidade das combinações poderá ser apreciada e degustada em uma das versões do Pasta Box, em que o cliente escolhe uma massa, molho, queijo e pão, por exemplo. Pode ser montada com sugestões do chef italiano ou pelo cliente. A Pasta Box será ideal também para presentear.

“A Vetrina di Itália não existiria sem os produtos, sem o conceito de ter uma experiência de comida fresca, artesanal, com preocupação nos detalhes, oferecendo uma intensidade de sabores, texturas e sensações. A cozinha é totalmente aberta, com amplos balcões em inox, muito vidro, para que todos possam observar a equipe trabalhando. Colocando, literalmente, a mão na massa”, destacou Caroline Nijenhuis.

Sotaque italiano

O forte sotaque italiano da casa, além das mãos do chef, vem do sonho da empreendedora de ter um negócio gastronômico feito para se apreciar em qualquer lugar.

As massas são de fabricação própria, com sêmola importada, a farinha 00 italiana.

A Vetrina também terá uma seleção de vinhos, kits exclusivos, queijos importados, e contará com cursos e atendimento a eventos personalizados.

“Os italianos são muito ligados a receitas tradicionais, mas estamos juntando a isso pratos autorais e as técnicas clássicas, ou vice-versa, usando toda a riqueza e beleza da Itália bem aqui, em Manaus, com estilo”, ressaltou o chef Daniel Buzzi.

As pastas da casa serão o Gnocche de Mandioquinha, o Gnocchetti Sardi, Casarecce, Fusilli, Tagliatelle, Pappardelle e Spaghetti Alla Chitarra. Entre as massas recheadas, a Ravioli Ricota e Espinafre traz o formato quadrado para esconder um recheio simples, mas com história.

Para os amantes dos doces, a Vetrina terá Cannole Siciliano, Crostata Al Cioccolato e o imbatível e irresistível Tiramissú, produzido com o verdadeiro mascarpone batido, entre outras delícias exclusivas. Uma delas é o Babá, sobremesa típica de Nápoles, que lembra a textura de um panetone com formato de cogumelo. O segredo é encharcar em uma calda com base alcóolica e servir com chantilly e frutas frescas.

Panificação

Os pães são todos fabricados na casa, tem textura leve e macia, com cinco variações, inicialmente. A Focaccia da casa será a verdadeira rainha dos pães, magicamente reunindo água, farinha, sal e azeite.

Complexa e crocante, na versão Vetrina terá uma com cobertura de pomodorini e basílico, e a outra para paladares mais fortes, com cebola caramelizada. A panificação fica completa com Pane Rústico Italiano, o Tortano Di Calabresa e o Pane Al Cciocolato, para chocólatras não resistirem.

Buzzi não apenas elaborou o cardápio, como executa com maestria vários ingredientes usados no preparo dos pratos que vão servir aos clientes, produzindo itens que precisam de maturação natural, usando o tempo para extrair o melhor sabor que o alimento tem.

Um exemplo clássico dessa apuração é uma das entradas, a Caponata Siciliana, que vem do Sul da Itália com referências do norte africano. Nesta versão do Vetrina, tem berinjela, cebola, salsão, uva passa, tomates frescos, mel, açúcar mascavo e o toque de vinagre. A preparação com etapas de assar, caramelizar e flambar dão toque mais depurado ao antepasto.

Sobre o chef Daniel Buzzi

Há 30 anos, Daniel Buzzi nasceu na Lombardia e desde a infância sabia que a cozinha era sua paixão. Queria ser cozinheiro. Ajudava o pai a produzir charcutaria e salames e, aos 14 anos, teve seu primeiro emprego, na cozinha do Hotel de la Poste, em Cortina D’Ampezzo.

Depois, fez um curso de gastronomia em Cesenatico, na Emilia-Romagna, e de lá partiu para Londres, onde trabalhou em restaurantes badalados como o japonês Roka e o espanhol Fino.

Mudou-se para o Brasil em 2018 e em São Paulo fez estágio no emblemático D.O.M, de Alex Atala, com sua escalada de sabor e ingredientes da Amazônia. Buzzi também passou pela cozinha do chef Emmanuel Bassoleil (no buffet do Hotel Unique) e pelos restaurantes Mimo, Ecully e Sensi.

Depois ajudou na criação do Fôrno, abriu sua própria hamburgueria, a The Flames, na Vila Mariana, e em seguida transferiu-se para o Rosso Burguer, de Mário Junior, na Vila Ema. Em Tatuapé abriu com Mário a Osteria Del Rosso.

COMPARTILHE