Manaus, 3 de dezembro de 2021

Turismo

Foto: Franciele Cardoso/Musa
Foto: Franciele Cardoso/Musa Foto: Franciele Cardoso/Musa

Museu da Amazônia pede ajuda após assalto e SSP-AM determina reforço dos patrulhamentos

SSP informou contato dos policiais que atuam na área: (92) 98842-1633.

Por Sabrina Rocha

O Museu da Amazônia (Musa) buscou parcerias com órgãos de segurança, após o assalto ocorrido no último sábado (20/11) dentro do ponto turístico. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) afirmou que determinou o reforço dos patrulhamentos nas proximidades do espaço. A pasta também informou o contato para acionar os policiais que atuam na área: (92) 98842-1633.

O diretor geral do Musa, Ennio Candotti e o deputado estadual Serafim Corrêa fizeram apelo por segurança no local.

No sábado (20/11), durante um arrastão, 20 visitantes foram imobilizados e tiveram seus pertences roubados por um homem armado. O suspeito teria entrado pela mata, arrombado uma das grades de segurança e iniciado o assalto no local.

Após o crime, o Musa, que é uma associação civil, de direito privado, suspendeu as visitas do domingo (21/11). A visitação voltou ao normal na segunda-feira (22/11).

A direção do museu também divulgou que estava em busca de parcerias com órgãos que possam ceder segurança ao local, como a Polícia Ambiental, Politur, Corpo de Bombeiros e Grupo Suçuarana (iniciativa do Corpo de Bombeiros voltada para corpo civil).

Fachada do Museu da Amazônia, situado na Zona Norte de Manaus. Foto: Franciele Cardoso/Musa/Arquivo

Depois do

Assunto entrou na pauta da Aleam

O assunto virou pauta na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Na manhã desta terça-feira (23/11), o deputado estadual Serafim Corrêa fez um apelo ao Estado e às forças de segurança pública para que reforcem o policiamento no Museu da Amazônia.

“Esse episódio precisa ser esclarecido rapidamente e essa pessoa que fez isso precisa ser presa”, disse.

Serafim destacou que o Musa é o segundo ponto turístico mais visitado de Manaus, ficando apenas atrás do Teatro Amazonas.

Carta aberta

Em carta aberta, o diretor do Musa, Ennio Candotti, pede ajuda do Governo e da Prefeitura de Manaus, para que contribuam com a defesa “o patrimônio de ciência e cultura que construímos juntos nos últimos dez anos”.

No documento, Candotti ressalta que, nos últimos meses, outros dois roubos ocorreram no Musa, em menor escala, mas com igual violência.

Nota da SSP-AM

Em nota enviada ao Portal Edilene Mafra, a SSP-AM destacou que o Comando Geral da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) determinou ao Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) que os patrulhamentos ostensivos nas proximidades do Museu da Amazônia sejam reforçados.

A SSP informou, ainda, que os policiais da 13ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), responsáveis pelo patrulhamento da área em que o Musa está localizado, podem ser acionados por meio do número (92) 98842-1633.

O Museu da Amazônia

O Museu da Amazônia é um ponto turístico situado na Zona Norte de Manaus. O local abre para visitação seis dias na semana, incluindo os fins de semana e feriados. O complexo só fecha às quartas-feiras para manutenção.

A entrada sem guia custa R$ 30, e o ingresso com guia fica a R$ 50. Idosos, estudantes e moradores da capital pagam meia-entrada.

O Musa é um fragmento de floresta amazônica. Criado em janeiro de 2009, o espaço ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke, que pertence ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

O museu abriga uma Torre de Observação, conhecida como ‘Torre do Musa’. Do alto da estrutura, é possível contemplar o nascer e o pôr do sol sobre a copa das árvores. A torre tem sido cenário de pedidos de casamento e de ensaios fotográficos, já que rende belas imagens.

Confira a íntegra da carta aberta:

COMPARTILHE