Manaus, 6 de julho de 2022

Turismo

Foto: Janailton falcão/Amazonastur
Foto: Janailton falcão/Amazonastur Foto: Janailton falcão/Amazonastur

Estado investiu na promoção do AM em 2020 para colher a partir de 2021, diz presidente da Amazonastur

A Amazonastur divulgou o balanço das atividades do ano, nesta sexta.

Com informações da assessoria

Nesta sexta-feira (18/12), a presidente da Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur) divulgou o balanço das atividades do ano. Segundo a presidente da instituição, Roselene Medeiros, a pandemia de Covid-19 forçou adaptações ao planejamento. “Investimos na promoção do Amazonas em 2020 para colher os resultados a partir de 2021”, disse.

A Amazonastur informou que, em 2020, esteve focada na promoção do destino Amazonas, no suporte ao trade (empresários do setor) e na regularização de prestadores de serviços que não estão inscritos no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo (Cadastur). Ao longo do ano, a empresa também firmou convênios com instituições federais para melhoria da infraestrutura turística que somam mais de R$ 15,6 milhões.

Para a presidente da Amazonastur, Roselene Medeiros, o ano foi de adaptar o planejamento para reduzir os impactos da pandemia no setor.

“Toda a programação traçada para este ano foi alterada substancialmente. Redirecionamos nossas ações com foco em atrair turistas nacionais a partir da desaceleração do número de casos e, também, para divulgar o estado como destino seguro ao turista brasileiro. Investimos na promoção do Amazonas em 2020 para colher os resultados a partir de 2021. Nesse sentido, não podíamos deixar a promoção de fora. O turista se planeja com antecedência e nosso destino não poderia ficar fora da prateleira”, destacou Roselene.

Como parte do programa de retomada do turismo, a Amazonastur colocou em prática o Plano de Retomada da Atividade Turística – ‘Amazone-se’. De acordo com o Governo do Estado, a iniciativa reúne projetos e programas, visando impulsionar o crescimento do segmento, um dos mais impactados pela pandemia da Covid-19.

Lançamento ‘Amazone-se. Foto: Secom

Programa

Além da promoção turística por meio de campanhas, o ‘Amazone-se’ previu o ordenamento do setor, suporte ao empresariado e obras de infraestrutura turística. O projeto começou a ser implementado em julho e vai continuar durante todo o primeiro semestre de 2021.

Segundo a Amazonastur, por meio do ‘Amazone-se’, o turismo no estado deu um passo para a inclusão digital do destino Amazonas. A empresa lançou o ‘visit-amazonas.com‘ em três idiomas, o site é um guia que reúne os principais atrativos do estado.

A empresa lançou, ainda, a web série ‘Amazone-se’, exclusiva para as redes sociais e plataformas digitais voltadas aos viajantes nacionais e internacionais. Foram quatro episódios temáticos – Riqueza Cultural, Natureza, Gastronomia e Passeios Fluviais – apresentados pela influenciadora digital Vivian Amorim e que estão disponíveis no IGTV da Amazonastur (@amazonastur e @visitamazonas) e do Governo do Amazonas (@governo_do_amazonas).

Foi instalado também um cenário instagramável, com a marca ‘Amazone-se’, no Largo de São Sebastião, Centro de Manaus, para manauaras e turistas registrarem seus passeios e compartilharem em suas redes sociais.

Cenário instagramável, com a marca ‘Amazone-se’, no Largo. Foto: Janailton Falcão/Amazonastur

Projetos

De acordo com a Amazonastur, a assinatura de convênios com o Ministério do Turismo viabilizará quatro obras. Dois desses projetos são para a adequação da Serra da Valéria, no município de Parintins. Um terceiro é para a implantação de infraestrutura para as comunidades indígenas Tatuyo, Cipiá, Tuyuka e Diakuru e o quarto é para a construção do Museu dos Bois de Parintins.

Obras

Ainda em relação à infraestrutura, está prestes a ser entregue à população a segunda etapa do Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques (CCAVV), uma obra que, de 2015 a dezembro de 2018, tinha sido executada em apenas 14%. Os trabalhos avançaram a partir de 2019, no atual Governo, atingido, em 16 de dezembro deste ano, a marca de 92% de conclusão.

O prédio terá 14.300m² e será destinado a feiras e exposições com três salões. Por evento, o novo CCA comportará seis mil pessoas e será interligado ao CCA 1, que atende quatro mil pessoas.

Além disso, foram iniciadas em dezembro, com previsão de entrega para março, as obras de reforma e construção dos centros de atendimento ao turista no Centro da capital e no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. E ainda, também nesse prazo, as obras de reforma e ampliação do terminal de embarque e desembarque de passageiros do Aeroporto de Barcelos começaram a ser executadas. O investimento nas obras é da ordem de R$ 1,7 milhões de verbas federais.

Ordenamento

Neste ano, de janeiro a início de dezembro, houve um crescimento de 17,23% no número de prestadores cadastrados. O aumento é reflexo de um conjunto de ações realizadas para incentivar a adesão ao Cadastur, que permite um mapeamento das atividades desenvolvidas no estado e tira os empreendedores da informalidade. No comparativo entre 2018 e 2020 o aumento é de 39,32%.

Para sensibilizar prestadores informais, foram realizadas ações em portos, marinas, restaurantes, flutuantes e barreira rodoviária. A campanha ‘Alô, Turista!’ foi lançada em novembro pela Amazonastur e teve como objetivo, principalmente, sensibilizar o turista para buscar prestadores de serviços cadastrados e, com isso, assegurar sua segurança e qualidade de serviços.

Suporte ao trade

A Amazonastur informou que disponibilizou uma série de publicações em 2020 para auxiliar os empresários do setor. Um exemplo é a Cartilha de Investimentos Turísticos do Amazonas para estímulo e orientação para acesso a linhas de financiamento disponíveis no mercado.

A Empresa Estadual de Turismo também elaborou como sugestão ao trade oito protocolos de biossegurança para os segmentos: agências de viagem, bares e restaurantes, Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques, eventos, guias de turismo, hotelaria, operadores de pesca esportiva e transporte terrestre e fluvial.

Também houve a produção de estudos e pesquisas sobre a satisfação e caracterização dos turistas que permitam tomadas de decisões. Foram realizadas, também, três sondagens da Pesquisa Ambiente de Negócios do Turismo do Amazonas para identificar as expectativas para recuperação do setor no período após a pandemia.

Hotelaria

Com a flexibilização das medidas de isolamento social, editadas desde junho e com as ações da Amazonastur, os resultados favoráveis já começaram a aparecer. Manaus tem se destacado na ocupação hoteleira urbana. Segundo o Boletim Informativo do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (InFOHB), a capital obteve, nos meses de julho (29,95%), agosto (34,73%) e outubro (47,72%), o melhor desempenho em taxa de ocupação hoteleira entre as 15 capitais auditadas pela instituição.

Outro indicador da indústria turística, a CoHotel Consultoria Hoteleira, listou 11 empreendimentos e apontou taxas de ocupação para Manaus superiores para os meses de julho (35,76%), agosto (37,58%) e setembro (47,5%). Em novembro, no último balanço divulgado pela consultoria, Manaus atingiu 53,55% de ocupação. No acumulado do ano, a capital amazonense atingiu 47,03% de ocupação.

COMPARTILHE