Manaus, 7 de outubro de 2022

Religião

Foto: Márcio James/Semcom
Foto: Márcio James/Semcom Foto: Márcio James/Semcom

Cemitérios de Manaus ficam fechados no Dia de Finados e famílias terão ‘Momento de Oração’ pela internet

Live 'Momento de Oração' será na segunda, a partir das 17h.

Com informações da assessoria

A Prefeitura de Manaus suspendeu a tradicional visitação aos cemitérios, no Dia de Finados, lembrado na segunda-feira (2/11). As famílias terão um ‘Momento de Oração’ pela internet, na data.

Segundo a prefeitura, a suspensão das visitas cumpre busca cumprir medidas de segurança e prevenção contra a Covid-19, conforme Decreto Municipal 4.801.

O prefeito Arthur Virgílio Neto afirmou que, embora o distanciamento social ainda seja importante, nada impede que as homenagens sejam realizadas em forma de oração.

“O Dia de Finados é uma data muito especial, porque é um momento de homenagear pessoas queridas que se foram, mas tenho o dever de preservar a vida de todos, por isso decidimos manter os cemitérios fechados. As homenagens podem ser feitas de diversas formas e vamos fazer um momento de oração, para que todos possam homenagear os seus entes queridos”, disse.

Live com lideranças religiosas

A prefeitura divulgou que vai realizar a live ‘Momento de Oração’, diretamente do cemitério Nossa Senhora Aparecida, bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus, na segunda-feira, a partir das 17h. A transmissão será pela página oficial do Facebook (facebook.com/prefeiturademanaus).

A live vai contar com a participação de diversas lideranças religiosas, mas sem a presença de público.

Estarão presentes Regina Vilácio, líder indígena saterê-maué; dom Leonardo Steiner, arcebispo metropolitano de Manaus, e Padre Zenildo, da Igreja Católica; Walter de Nazaré, da Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas; Alberto Jorge, representante das religiões de matrizes africanas; Murilo Laredo, gestor do Comitê Israelita do Amazonas, que representará a comunidade judaica; Afonso de Ligorio Machado, da Igreja Messiânica; Tamer Mohamed, do Centro Islâmico de Manaus; Dilton Vasconcelos, da Federação Espírita; e Iona Pinheiro, da Chagdug Gonpa (Budismo).

“Nossa intenção, como determinou o prefeito, é prestar homenagens, principalmente às vidas ceifadas durante a pandemia de Covid-19, mesmo que virtualmente. Essa é a resposta da prefeitura diante deste novo tempo, sem circulação de pessoas nos cemitérios, para conclamar a todos a orar de suas casas e promovermos um momento de espiritualidade, tolerância religiosa e respeito aos nossos antepassados e entes queridos, que já não se encontram entre nós”, afirmou o subsecretário de gestão da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Eisenhower Campos.

Restrição

Desde meados de abril, a entrada nos cemitérios de Manaus está restrita. Outros momentos de visitação intensa nesses locais, como Dia das Mães e Dia dos Pais, deixaram de acontecer por conta da pandemia.

“Foi necessário reorganizar a entrada dos cemitérios, até para resguardar o momento das pessoas que estão lá sepultando seus entes queridos e manter um ritmo de trabalho eficiente lá dentro”, ressaltou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

O acesso aos cemitérios está liberado apenas para sepultamentos e, conforme o decreto municipal nº 4.801, durante o cortejo, somente é permitido o tráfego do veículo que conduza a urna funerária acompanhado de até dois outros carros particulares, limitada a participação na cerimônia de sepultamento a cinco pessoas. No caso de óbito em decorrência da Covid-19, pode participar do cortejo só o veículo que conduza a urna funerária e um carro particular, com cerimônia de sepultamento limitada a três pessoas.

COMPARTILHE