Manaus, 28 de novembro de 2022

Cultura

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Artistas paraenses prestam homenagem a ‘Epaminondas Gustavo’, vítima da Covid-19

Cláudio Rendeiro, criador do personagem, faleceu hoje.

Da redação

O juiz Cláudio Henrique Lopes Rendeiro, criador e intérprete do personagem ‘Epaminondas Gustavo’, faleceu nesta segunda-feira (18/01), vítima de complicações da Covid-19. Artistas paraenses publicaram mensagens em homenagem ao juiz e humorista.

Cláudio Rendeiro nasceu em 20 de junho de 1965. Ele era natural de São Caetano de Odivelas, no Pará.

A partir da vivência pessoal e profissional do interior do Pará, o juiz deu vida ao célebre e conhecido personagem Epaminondas Gustavo.

O Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) lembra que ‘Epaminondas’ era caracterizado como um homem simples do interior. Com linguagem coloquial, simples e característica do interior, Rendeiro apresentava conflitos judiciais e situações diárias vividas pelo personagem que eram explicadas de didaticamente pelo viés do Direito.

Epaminondas Gustavo se popularizou por mensagens instantâneas de celular até chegar às mídias digitais de redes sociais.

Artistas lamentam

Diversos artistas paraenses se manifestaram, nas redes sociais, após o falecimento de Rendeiro, lamentando e prestando homenagens. Dona Onete disse que mais uma luz se apagou. “Exemplo de humildade e alegria, ele vai fazer muita muita falta. Toda a minha solidariedade aos familiares, amigos e fãs. Descanse em paz meu amigo”, escreveu a cantora.

Dira Paes publicou uma foto ao lado do amigo junto com um áudio, em que o personagem alertava para a necessidade de cuidados contra a Covid-19.

“Neste dia que estamos com a esperança renovada por conta da eminente vacinação, o Pará se despede de mais uma vítima do Covid 19, desta vez um dos seus maiores humoristas, Epaminondas Gustavo. O grande Juiz do Trabalho Cláudio Rendeiro. Um homem incansável nas causas sociais. A mensagem deixada do seu leito de morte para todos é o último legado que nos deixa. No dia que recebi essa medalha de honra ao mérito no TRT8, ele me abraçou e disse: “Égua maninha, sou teu fã.” Obrigada por tanto caro amigo. Meus sentimentos a família Rendeiro e a todos que estão sofrendo está dor”, diz a mensagem publicada pela atriz.

Gaby Amarantos também prestou homenagem ao artista. “Já temos vacinas mas ainda não acabou então é responsável a gente continuar a fazer a nossa parte, quem puder, falta pouco, aguenta firme … Acordei com a notícia da perda do ÍCONE do humor Paraense @epaminondasgustavo que lutava contra o COVID. Obrigada por sua arte e saiba que vc me fez lagrimar de rir com seus áudios hilários e geniais”, disse.

O prefeito de Belém, capital do Pará, Edmilson Rodrigues, lamentou e afirmou que a cidade amanheceu triste. “Uma tristeza imensa! O Pará perde um brilhante juiz, o humor e a alegria contagiantes de um ser humano iluminado. Vá em paz, mano. À família, amigos e fãs, o meu carinho e solidariedade”, escreveu o prefeito.

Magistratura paraense

Rendeiro dedicou 26 anos de sua vida à carreira da magistratura paraense. Nesta segunda, a presidência do TJPA estabeleceu luto oficial por três dias.

Durante 14 anos, Rendeiro atuou na área penal. A defesa pela ressocialização de egressos do sistema pena foi uma das principais atuações na magistratura no Poder Judiciário do Pará. Ele foi o primeiro coordenador estadual do programa Começar de Novo, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Atualmente, o juiz era titular da 4ª Vara do Tribunal de Júri de Belém, com competência para julgar crimes dolosos contra a vida, inclusive em Mosqueiro e Icoaraci.

COMPARTILHE