Manaus, 12 de julho de 2024

Cinema

Projeto capacita talentos mirins para trabalhar no cenário audiovisual em Manaus

Oficinas contaram com a participação do ator global Amaury Lorenzo.

Com informações da assessoria

O projeto ‘Conhecendo o Audiovisual’ promoveu oficinas gratuitas para crianças de 9 e 10 anos, em Manaus. O objetivo era capacitar novos talentos para trabalhar com conteúdos de audiovisual. A ação foi realizada na escola municipal Desembargador Cândido Honório, Alvorada, Zona Centro-Oeste.

Na sexta-feira (29/4), 30 alunos receberam os certificados. O responsável pela entrega de certificados aos alunos foi o vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura (Concultura), Neilo Batista.

“Vimos o entusiasmo dessas crianças no trabalho apresentado. A arte na sua essência. Temos a certeza que estamos no caminho certo”, comentou Batista.

O ‘Conhecendo Audiovisual’ foi um dos projetos vencedores do edital ‘Manaus Faz Cultura’ lançado pelo Conselho Municipal de Cultura (Concultura), com apoio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

Entrega de certificados do projeto ‘Conhecendo o Audiovisual’. Foto: Divulgação

Oficinas

No ‘Conhecendo o Audiovisual’, os estudantes aprenderam noções de como produzir, filmar, atuar e a relevância da arte por meio das oficinas. As aulas foram ministradas pela cineasta Ana Lígia Pimentel, o diretor de fotografia Robert Coelho, e o ator da Rede Globo, Amaury Lorenzo.

“Sou educador e acredito em arte que seja para transformar. Essas crianças não necessariamente serão atores, diretores ou iluminadores, mas irão se tornar seres humanos melhores. A motivação de estar aqui é pensando em cidadania e dignidade para esses jovens”, comenta Amaury Lorenzo.

O ator ressalta que um dos principais pontos da oficina foi envolver, além dos alunos, familiares e moradores da comunidade. O artista realiza oficinas como o mesmo objetivo na cidade do Rio de Janeiro.

“Todo mundo tem direito à arte e à cultura. Aqui [no Projeto Conhecendo Audiovisual] conseguimos vislumbrar uma arte que transforma. Então, é isso que importa”, frisa Amaury.

Projeto

Rayla Beatriz, portadora da Síndrome de Moebius, um tipo de paralisia na face que afeta a linguagem, foi uma das alunas contempladas pelo projeto. Com a iniciativa, a estudante conseguiu ampliar limites. “Eu quero estudar cinema”, conta.

Ao longo do projeto, a menina desenvolveu suas habilidades e coordenação, sendo um dos destaques da turma. A mãe, Rosiane Magno, descreve com orgulho a conquista de Rayla.

“Ela se desenvolveu muito. Eu queria que continuasse para Rayla se desenvolver mais. Antes, achava que ela não conseguiria. Agora, deu o horário e ela ficou emotiva querendo ficar e participar”, afirmou Rosiane.

De Manaus para o mundo

A coordenadora do projeto, Bitta Catão, revelou que tem o objetivo de conduzir crianças para oportunidades de trabalhos no audiovisual, tanto a nível nacional como internacional. A filha da artista, Maria Flor Catão, participou com apenas 7 anos de uma minissérie estrangeira lançada em Madri, na Espanha.

“Eu quero passar isso para outras crianças, que elas também podem ter essa oportunidade de trabalhar e até mesmo conquistar uma renda como a minha filha, que recebeu o cachê dela. Eu tenho amigos diretores, produtores, agenciadores e sempre me procuram para pesquisas de elenco. Fazendo essas oficinas, eu tenho perfis que posso indicar quando alguém me pedir, alguém preparado.”, disse.

O projeto ‘Conhecendo o Audiovisual’ foi elaborado e escrito por Bitta, que decidiu concorrer ao edital da Concultura pela primeira vez. A idealizadora decidiu que iria oportunizar para sua comunidade a chance que teve anos atrás com o ator global Matheus Nachtergaele, que a introduziu no meio artístico e abriu portas para trabalhos no audiovisual.

“Era pra ele (Matheus) ter vindo para essa oficina por ser meu padrinho artístico, só que não conseguiu dispensa da Globo. E aí o Amaury, que também é meu amigo, se colocou à disposição. É uma sensação tão diferente porque eu recebi de um ator famoso a oportunidade de viajar de Manaus para o Rio de Janeiro. E hoje eu estou com um ator famoso, trazendo ele para minha cidade. Não tem como mensurar a emoção que estou sentindo. As produções que eu faço são mais pra fora e eu posso encaminhar essas crianças para um próximo trabalho, quando virem gravar em Manaus. Eu quero prepará-las para trabalharem com arte”, destacou.

Apoio

Bitta também agradeceu o apoio do Restaurante Caxiri, Hotel Casa dos Frades, panificadora Hadassa e a líder comunitária do Alvorada, Crislane Mikaele na assistência na execução do projeto.

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!