Manaus, 20 de setembro de 2021

Teatro

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação Fotos: Divulgação

Arte em movimento no AM: Espatódea Trupe alia formação de novos talentos à agenda de espetáculos

Com sede própria, cia oferece aulas de dança, teatro e música.

Por Sabrina Rocha

Com pelo menos cinco anos de atuação, a companhia e escola de teatro Espatódea Trupe forma novos talentos para as artes, enquanto mantém sua agenda de eventos. A cia, genuinamente amazonense, realiza espetáculos de rua e performances nos palcos. Com sede própria, o grupo também oferece aulas de dança, teatro e música. Conheça a história da companhia, os trabalhos já realizados e os projetos em andamento.

De acordo com Emille Nóbrega, uma das fundadoras da Espatódea, a companhia busca contribuir com a criação de novos espetáculos e ajudar projetos parceiros no desenvolvimento da arte e da cultura no Amazonas.

Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

Emille contou que os editais do Prêmio Feliciano Lana, que recebeu recursos da Lei Aldir Blanc, foram essenciais para manutenção desses objetivo, especialmente durante a pandemia.

“Podemos participar da engrenagem da nossa economia criativa num momento tão difícil de pandemia e ainda garantir que muitos colegas pudessem realizar seus projetos. Esses editais foram imprescindíveis para manter o trabalho e a vida de muitos artistas”, ressaltou.

Prêmio Feliciano Lana foi lançado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas (SEC-AM), com o intuito de apoiar projetos de artistas do Estado com recursos financeiros.

Grupo promove espetáculos de rua. Foto: Divulgação

Projetos

A Espatódea Trupe está preparando a estreia do musical ‘Brasilidades’. A cia pretende abrir, ainda em 2021, audições para participação de artistas profissionais no espetáculo.

Em maio deste ano, a companhia apresentou o espetáculo de Teatro Musical ‘Amazonas, O Maior Espetáculo do Brasil’. A apresentação conta a história de Raimundo Bodó, o maior inventor de histórias que já existiu. Vários bailarinos, músicos e atores locais participaram da montagem.

Conforme informações da Trupe, a live com a apresentação do ‘Amazonas, O Maior Espetáculo do Brasil’, foi assistida por pessoas de outros estados (Minas Gerais e São Paulo), e até de outros países (Chile e Alemanha).

Cia oferece aulas de música, dança e teatro. Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

Aulas

A Espatódea Trupe também atua como escola de artes cênicas. Assim como os editais, esse trabalho ajuda a manter o projeto ativo.

“Estamos conseguindo nos manter pelas matrículas na escola. Temos uma procura bem bacana por parte da dança. A gente fez uma parceria com os artistas da Empire Escola de Dança e deu muito certo. E, agora, aos poucos, estamos formando nossa turmas de Teatro e Música. Fora isso, temos eventos temos em parceria com shoppings e escolas privadas de educação básica”, disse Emille.

Companhia tem sede própria. Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

Nome da cia

A inspiração de Emille veio da música ‘Espatódea’, do cantor Nando Reis. A canção é uma homenagem do artista para a filha Zoé, que nasceu com os cabelos alaranjados, como as flores da árvore que leva mesmo o nome.

Assim como Nando, a criadora da companhia vê a espatódea como representação de vida e florescimento. Para Emille, as cores vibrantes das flores são como um espetáculo artístico, que prende a atenção daqueles que as observam.

‘Trupe’, como o nome diz, refere-se a um conjunto de artistas. A escola de teatro promove essa mistura de vários fazeres artísticos nas suas produções.

Emille Nóbrega e Árlisson Cruz, fundadores da Espatódea Trupe. Foto: Divulgação

O começo

O projeto foi criado em 2016, por Emille e o marido, Árlisson Cruz. Ambos tinham o desejo de conquistar autonomia em seus projetos artísticos.

Ela é licenciada em Teatro pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA) e tinha vivência com outros grupos artísticos.

Após a criação, a companhia desenvolveu espetáculos que foram apresentados para diferentes públicos. Diante da repercussão do trabalho, escolas começaram a procurar o grupo para ministrar aulas extras de teatro, dança e música.

Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

As primeiras apresentações da Espatódea Trupe aconteceram em escolas particulares da capital, com contações de histórias infantis.

Com as apresentações nas escolas de Manaus e a procura dos alunos para continuidade das aulas, os fundadores decidiram que era o momento de ter fundar uma sede.

“Diante das novas propostas que iam surgindo, começamos a sentir a necessidade de ter nosso próprio espaço de arte. Tanto como escola, quanto como companhia e produtora, pois precisávamos ensaiar, projetar e fazer reuniões”, lembra Emille.

Com a crise pandêmica, a companhia precisou adaptar a atuação. “Em 2020, abrimos a escola oficialmente, mas com a pandemia, resolvemos focar nos projetos internos. Até que pudesse reabrir para receber um público maior”, explica a fundadora da cia.

Escola oferece aulas para crianças e adultos. Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

Apresentações

Para Emille, um dos primeiros projetos que marcou a cia foi a participação na ‘Virada Sustentável’. A companhia foi selecionada pelo conselho organizador para apresentação de quatro espetáculos e duas oficinas.

“Lembro que comemoramos muito, porque é um projeto lindo, necessário e inteligente. Tudo em prol da consciência ambiental. E ainda mostra a força artística do nosso país e da nossa cidade. Então, a partir daí nós participamos também de outras edições”, conta.

Grupo realiza apresentações de rua e performances de palco. Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

Os espetáculos apresentados foram ‘Bumba meu boi, a festa vai começar’, ‘Um gigante no quintal’, ‘Quantas histórias habitam suas memórias?’ e ‘Upiara e a lenda da água doce’. Já as oficinas ministradas tinham aulas de base corporal para o teatro de rua e contação de histórias.

Em 2017, o espetáculo ‘Bumba meu boi, a festa vai começar’ também foi selecionado para participar do Festival Folclórico de Parintins (AM) e para outros dois festivais fora do Estado. As apresentações aconteceram em Rio das Ostras (RJ) e Araguari (MG). No ano seguinte, o espetáculo foi exibido no 11º Festival Nacional de Governador Valadares, no Estado de Minas Gerais.

Grupo já se apresentou em cidades do Amazonas e fora do Estado. Foto: Espatódea Trupe/Divulgação

O projeto também foi aprovado para uso de espaços culturais pela SEC-AM por meio do edital ‘Espaço Aberto 2018’. Emille afirma que, todo fim de semana, as pessoas passaram a acompanhar as apresentações da trupe. “Era uma sensação incrível poder ver o público retornar”, destaca.

Nesse período, um momento especial marcou as apresentações do grupo. “Nesse dia choveu e íamos parar o espetáculo no último ato, mas aquele público era tão fiel que resolveu ficar. Quando nos deparamos com guarda-chuvas abrindo, as pessoas compartilhando um lugarzinho pra não ter que sair dali, foi incrível. Aconteceu no dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro, aquilo foi um presente!”, narra.

Quem pode participar das atividades

Atualmente, a companhia oferece aulas para crianças e adultos. A idade mínima para participar das atividades é quatro anos.

O cronograma de cursos pode ser conferido nas redes sociais da cia: Facebook (https://www.facebook.com/EspatodeaTrupe.am) e Instagram (https://www.instagram.com/espatodeatrupe.am).

O Portal Edilene Mafra também divulga a agenda de cursos da Espatódea Trupe e dos demais grupos artísticos do Amazonas.

Endereço

.A sede da Espatódea Trupe está localizada na Rua do Comércio, 48 B, Parque 10, Zona Centro-Sul de Manaus. O espaço fica em frente à unidade da Caixa Econômica Federal.

O número para contato com a companhia é o (92) 99348-2099.

Arte em movimento no Amazonas: Espatódea Trupe alia formação de novos talentos à agenda de espetáculos. Fotos: Divulgação

*Parte das fotos que compõem esta reportagem foram feitas antes da pandemia.

COMPARTILHE