Manaus, 6 de julho de 2022

Música

Foto: Grazi Praia/Divulgação
Foto: Grazi Praia/Divulgação Foto: Grazi Praia/Divulgação

Bruno Rodriguez canta, toca, compõe e se prepara para lançar primeiro álbum

O artista expressa sua versatilidade em português e inglês.

Por Stephane Simões

Cantor, compositor e instrumentista, Bruno Rodriguez, 25, expressa sua versatilidade nas versões português e inglês. O artista amazonense, que também faz cover no YouTube, se prepara para lançar seu primeiro álbum, com canções nos dois idiomas.

A expectativa é que o CD seja lançado neste ano. Mas, ainda não há data definida, já que, com a suspensão das atividades não essenciais, a produção do disco foi interrompida.

“Tenho trabalhado bastante na composição do meu primeiro álbum. Ele tem faixas em inglês e português. Tô bastante ansioso. Terá músicas que muitos que acompanham meu trabalho já conhecem e esperam bastante. Espero em breve poder entregar pra todo mundo”, diz.

Recentemente, Bruno fez parceria com a DJ May Seven, com a música ‘Let me Down’, composta e interpretada por ele. O single foi lançado no dia 29 de janeiro deste ano. Segundo o cantor, a letra já existia desde 2019, mas só foi finalizada antes da gravação.

Bruno Rodriguez. Foto: Grazi Praia/Divulgação

“Eu escrevi ‘Let Me Down’ para uma situação que aconteceu em 2019, e não terminei. Só escrevei as primeiras partes até o refrão. Nesse período de pandemia, a May entrou em contato comigo, nós começamos a conversar, ela perguntou se eu tinha alguma música. Eu apresentei ‘Let Me Down’ a ela, que gostou de primeira. Mas eu sentia que a música ainda não estava pronta e eu queria tentar terminá-la. A May me deu mais um tempinho e escrevi mais um pouco da música. Quando eu senti que estava pronta, gravei tudo e mandei pra ela, e ela curtiu bastante”, conta.

Bruno nasceu em Manaus e já residiu em Florianópolis, capital de Santa Catarina. Embora nunca tenha morado no exterior, o artista tem intimidade com outros idiomas. Conforme o cantor, essa proximidade poderá servir para a realização de trabalhos em outras línguas.

“Sempre gostei muito de outras línguas. Sempre gostei bastante do inglês, minha língua favorita. Até hoje, tenho contado com japonês, porque assisto anime, principalmente nesse período de quarentena. Eu gosto bastante também de línguas como italiano e francês”, afirma.

Bruno Rodriguez. Foto: Juan Valente/Divulgação

Iniciação na música

A história com a música começou ainda na infância, quando Bruno ganhou um teclado e começou a tocar. A música continuou presente na adolescência – fase em que o artista tocava violão na igreja.

O amazonense também começou a compor cedo. “Escrevo há muito tempo, acho que desde os 11 anos. Sempre fui fã de escrever. Eu gostava de escrever textos, poemas. Por volta dos 18 anos, eu comecei a transformar em música os textos que eu tinha. Foi quando eu fui descobrindo o meu jeitinho pra compor. Porque eu acho que todo compositor acaba descobrindo alguma fórmula, algum gatilho, algo que o inspire a transformar aquilo em música”, ressalta.

Bruno começou a cantar profissionalmente há, aproximadamente, cinco anos. Por muito tempo, ele acreditou que não seguiria esse caminho.

“Quando eu comecei realmente a compor as músicas, comecei a pensar que eu precisava mostrá-las para alguém. Mesmo que outra pessoa cantasse, eu precisava mostrar a maneira como eu queria que fosse feita. Eu comecei a trabalhar isso, comecei a cantar, as pessoas começaram a gostar. Alguns amigos já tinham me escutado cantar. E foi assim que eu acabei indo pra frente e me assumindo como cantor”, completa.

Bruno Rodriguez. Foto: Juan Valente/Divulgação

Influências musicais

Cícero Lins e Ana Carolina são os cantores que sempre o inspiraram musicalmente na forma de cantar. Até hoje, o amazonense inclui músicas dos artistas em seu repertório.

“Costumo pegar gêneros, como o pop, blues, MPB, bossa nova. São ritmos que eu gosto bastante. Inclusive, as minhas músicas têm essa pegada, que eu tento misturar com algo mais atual, colocando uma batida, um beat ou um trap. Gosto de fazer essa variação de ritmo”, destaca.

Antes da pandemia, o cantor costumava realizar shows em bares e pubs de Manaus. Também fazia apresentações em teatros e eventos, onde mostrava seus trabalhos autorais. Atualmente, o artista tem publicado seus trabalhos nas plataformas digitais.

“Tenho dois públicos – o que me conhece da noite e o da internet – que são os que acompanham o meu trabalho autoral. Tento interagir com os dois públicos pelas minhas redes sociais. Tanto no Instagram, onde eu tô diretamente conectado com todo mundo. Às vezes, eu posto bastante vídeo lá. E no próprio YouTube, onde eu posto bastante cover e também material autoral”, completou.

Assista a um cover do cantor:

COMPARTILHE