Manaus, 2 de dezembro de 2022

Música

Foto: Lisi Moreira/Divulgação
Foto: Lisi Moreira/Divulgação Foto: Lisi Moreira/Divulgação

Bel Martine lançará show ‘Recortes’, gravado em Manaus

O show traz um diálogo sobre diversidade social por meio da arte.

Por Stephane Simões

Projeto idealizado pela cantora Bel Martine e pela produtora Audi Arruda, o show ‘Recortes’ será lançado no dia 31 de dezembro, no YouTube e Facebook. A gravação, realizada no dia 21 deste mês, em Manaus, contou com diversos artistas, representantes LGBTQIA+ e mulheres. O projeto foi contemplado pelo edital Conexões Culturais, da Lei Aldir Blanc.

Conforme Bel Martine, o encontro proporcionou um diálogo entre os artistas e o público. A ideia do projeto é mostrar pluralidade, diversidade e diferentes recortes de vivências e experiências.

“Eu como LGBTQIA+ sempre enfrentei as dificuldades que a minha existência como corpo político apresentou, muito preconceito. Sendo mulher, também [sofri preconceito] na música, que é um ramo majoritariamente ocupado por homens. Então, a gente não traz só a população LGBTQIA+ e suas vivências, mas também a vivência de mulheres. A ideia do projeto é a gente diversificar e mostrar, de diferentes perspectivas, cada recorte social. E que a gente se conecte e debata isso através da arte”, destacou a cantora.

A gravação contou com diversos artistas, representantes LGBTQIA+ e mulheres. Foto: Lisi Moreira/Divulgação

O show contou com a presença dos artistas Liê de Cezar, Bruno Rodriguez, Ana Bia, Zahid, Wendy Oha, Karen Francis e Gabi Farias. De acordo com Bel, a intenção era mostrar a pluralidade, também, nos diferentes ritmos musicais.

“Eu tô muito feliz por conseguir realizar esse projeto em um ano tão difícil, de muitas perdas, muita resistência. Estar aqui, hoje, é um ato de resistência. E todo ato de resistência está falando, também, de liberdade, que é o que queremos. A galera verá muito isso no show, muita verdade, muita entrega e eu tô muito feliz, mesmo”, acrescentou.

Bel Martine. Foto: Lisi Moreira/Divulgação

Produção

O show contou com a produção de Audiane Arruda, que também é idealizadora do evento. Segundo a produtora, o projeto foi desafiador, por conta do pouco tempo que teve para produzir e realizar toda a estrutura do espetáculo.

“Foi menos de um mês para produzir um evento que a gente, naturalmente, teria pelo menos três meses de produção. O maior desafio desse show é justamente o prazo de entrega de todas as partes do projeto. Mas é fantástico, para mim, como produtora, ter esse desafio e conseguir realizar. Eu acredito que, quando a gente realiza o que gosta, o que acredita, a gente também se realiza junto com aquilo”, afirmou.

Para Audi, os projetos contemplados pela Lei Aldir Blanc vão gerar vários produtos artísticos, tanto no cenário amazonense quanto nacional.

“Eu tô muito feliz de ter sido contemplada junto com a Bel e todos esses artistas incríveis que estão no projeto. Eu acredito que é fomentando a arte que a gente transforma os nossos ambientes. E que arte também é política, arte também fala, arte é resistência”, finalizou.

COMPARTILHE