Manaus, 21 de junho de 2024

Festivais

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Marujada de Guerra oferece Oficina de Percussão em Manaus

Inscrições começam neste sábado, e seguem abertas até 20 de abril.

Com informações da assessoria

A Marujada de Guerra, grupo rítmico do Boi Caprichoso, vai oferecer a Oficina de Percussão, em Manaus. As inscrições começam neste sábado (10/4), e seguem abertas até o dia 20 de abril.

A oficina é voltada a pessoas interessadas em adquirir conhecimentos sobre a arte de fabricação, manutenção e afinação de instrumentos de percussão que dão ritmo à toada, identidade musical do boi-bumbá de Parintins.

A Marujada de Guerra é grupo rítmico do Boi Caprichoso. Foto: Divulgação

Inscrições

Os interessados em obter mais informações e participar da Oficina de Percussão da Marujada de Guerra, podem entrar em contato com o número (92) 99175-3413.

A oficina ocorrerá no Atlético Rio Negro Clube, situado na Avenida Epaminondas, Centro de Manaus. As aulas serão ministradas entre os dias 26 a 30 de abril, das 14h às 18h.

O experiente mestre de percussão Ney Dartanhã Gadelha será o responsável por ministrar a oficina. Ele tem trabalhos desenvolvidos nas escolas de samba Unidos do Alvorada e Mocidade Independente de Aparecida, Batucada do Boi Garanhão e Marujada de Guerra do Boi Caprichoso.

Ney Gadelha, que também desenvolve atividades com grupos de jovens em comunidades da capital, exaltou a oportunidade de trabalhar com o público do boi-bumbá. “A oficina vai despertar o interesse na arte e agregar conhecimento”, disse.

Projeto oferta conhecimentos sobre fabricação, manutenção e afinação de instrumentos rítmicos da toada de boi-bumbá. Foto: Divulgação

Realização

A Oficina de Percussão da Marujada de Guerra é um projeto contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, que faz parte das ações emergenciais da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, operacionalizada no Estado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Rogério Jesus, coordenador do projeto, celebra o retorno das atividades. “É imprescindível essa alternativa de apoio cultural do Governo do Estado às atividades da Marujada que, aos poucos, voltará a cumprir suas metas de trabalho”, disse.

Segundo o coordenador, a oficina seguirá as normas recomendadas pelas autoridades sanitárias.

COMPARTILHE