Manaus, 6 de julho de 2022

Festivais

Fotos: Reprodução
Fotos: Reprodução Fotos: Reprodução

Em apoio à ciência, Garantido e Caprichoso celebram chegada da vacina ao AM

Estado vacinou 1ª pessoa ontem e iniciou distribuição da vacina hoje.

Da redação

Os bois de Parintins, Garantido e Caprichoso, divulgaram apoio à ciência, após uma das vacinas contra Covid-19 chegar ao Amazonas. O Governo do Estado começou a distribuição das doses da Coronavac, na manhã desta terça-feira (19/01). Ontem (17/01), à noite, em um ato simbólico, a primeira pessoa foi vacinada em Manaus.

O Boi Garantido compartilhou uma arte com a foto da técnica de enfermagem Vanda Ortega, primeira pessoa vacinada no Amazonas. Na mensagem, o bumbá traz questionamentos que surgiram após o anúncio da produção de vacinas contra Covid-19 no mundo.

“Deus deu ao homem e a mulher: a cultura, o conhecimento e a fé. Fez de tudo espírito e matéria. Nos abençoou com o livre arbítrio – divina outorga democrática para escolher entre o certo e o errado. Agora quando temos que opinar entre morrer ou vacinar, de que lado seu ‘livre arbítrio’ estará? A ciência ensina, sou perreché e acredito na vacina! Vamos todos nos vacinar!”, escreveu o boi vermelho.

Para demonstrar apoio à vacinação, o Garantido também compartilhou a hashtag #euacreditonavacina, em apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Garantido traz imagem da primeira pessoa vacinada no Amazonas, a técnica de enfermagem indígena Vanda Ortega. Foto: Reprodução

O Boi Caprichoso lembrou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou vacinas no último domingo (17/01), e comemorou a chegada da Coronavac à Amazônia.

O bumbá compartilhou uma arte com fotos da primeira vacinada no Brasil, Mônica Calazans, e da primeira indígena imunizada no país, Vanuzia Santos.

“Nos tempos sombrios que vivemos, sob uma triste atmosfera de pandemia, celebramos a chegada da vacina no Brasil e em territórios amazônicos. Após análise da Anvisa sobre as vacinas, emitindo parecer favorável ao uso, o Boi Caprichoso une sua voz à ciência a nos guiar neste difícil momento de pandemia: que em breve possamos estar imunizados e brincando todos juntos de boi-bumbá!”, publicou.

Caprichoso traz arte com fotos da primeira vacinada no Brasil, Mônica Calazans, e da primeira indígena imunizada no país, Vanuzia Santos. Foto: Reprodução

COMPARTILHE