Manaus, 19 de julho de 2024

Cultura

Foto: Jaime Amorim/Divulgação
Foto: Jaime Amorim/Divulgação Foto: Jaime Amorim/Divulgação

Artista conclui mural ‘Guardiã da Amazônia’ no Hotel Amazonas; veja fotos

Grafite de 300 m² é assinado pelo artista Alessandro Hipz.

Por Eliena Monteiro

O mural ‘Guardiã da Amazônia’, que agora ilustra o antigo Hotel Amazonas, no Centro de Manaus, está pronto. Com 300 metros quadrados, o desenho ocupa uma lateral do prédio. O grafite é assinado pelo artista Alessandro Hipz, que busca valorizar as origens da cultura amazônica. Veja fotos do painel, ao final.

Hipz divulgou a entrega do mural nessa terça-feira (30/3). “Aqui marca a realização de um sonho pessoal, que sintetiza toda uma vivência de 20 anos no graffiti. Essa é uma conquista para a arte urbana manauara. Dedico esse trabalho a cada irmão e irmã de tinta que ajudou a escrever a história do graffiti em nossa cidade”, escreveu, nas redes sociais.

Mural agora ilustra o Hotel Amazonas, no Centro de Manaus. Foto: Jaime Amorim/Divulgação

O grafite tem como referência uma indígena de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas. “Por anos nos impuseram a ideia que tínhamos que ter vergonha sobre nossas origens. As artes, em todos seus segmentos, vêm resgatando a identidade e orgulho da nossa ancestralidade, e esse mural é sobre isso”, destacou Hipz.

O artista, natural de Porto Velho, capital de Rondônia, se destaca no cenário do Hip Hop amazonense, com personagens da série ‘Santas Amazônicas’, estampadas no viaduto do Boulevard Álvaro Maia, na passagem de nível da Avenida das Flores, em Manaus, e em Paricatuba, na cidade de Iranduba.

Alessandro Hipz. Foto: Jaime Amorim/Divulgação

Hipz mora em Manaus desde a infância. Na capital, ele teve contato com o grafite e começou a praticar. Para o artista, o significado do mural ‘Guardiã da Amazônia’ ultrapassa a estética artística. “É a representatividade do nosso povo e nossa cultura. E a arte tem esse papel fundamental em dialogar com seus povos e despertar o orgulho de nossas raízes que, por anos, foi atacada – deixando marcas. Até hoje, vemos pessoas renegando suas origens”, disse, ao Portal Edilene Mafra.

O painel desenhado no Hotel Amazonas faz parte do projeto ‘Às Margens do Rio Negro eu Sentei e Sorri – Mural Arte Urbana’. O projeto foi contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, da Lei Aldir Blanc, que recebe apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Confira fotos, desde o início até a conclusão do mural:

Ficha técnica da equipe que ajudou a desenvolver o mural:

Produtor e artista: Alessandro Hipz
Audiovisual: Jaime Amorimm
Assessor de imprensa: Alessandro Cavalcanti
Assistente artístico: Ienos Fuk e Jorge Liu
Projeção: Pedro Cacheado
Produtora: Adriana Guidão
Suporte técnico: Pedro Renam
Produção técnica: Negro Lamar
Referência artística: Ira Maragua
Equipamentos: Dunloc Equipamentos

Parte equipe que participou do desenvolvimento do mural ‘Guardiã da Amazônia’. Foto: Jaime Amorim/Divulgação

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!