Manaus, 5 de julho de 2022

Amazônia

Foto: Divulgação/FAS
Foto: Divulgação/FAS Foto: Divulgação/FAS

Sexta edição da Virada Sustentável Manaus será em formato online

Evento será entre os dias 27 de novembro e 3 de dezembro.

Com informações da assessoria

A Virada Sustentável Manaus, correalizada pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS), chegará à sexta edição neste ano, em Manaus. Em 2020, a mobilização ocorrerá em formato online, pela primeira vez. O evento será realizado entre os dias 27 de novembro e 3 de dezembro.

Conforme a organização, o formato online permitirá a participação de pessoas de todo o mundo. A Virada Sustentável é considerada o maior festival de sustentabilidade da América Latina.

A abertura do festival ocorre no dia 27 de novembro, no Teatro Amazonas, com capacidade de público reduzida pela metade. A realização no espaço é fruto de uma parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Nos dias 28 e 29 de novembro, serão realizadas atividades virtuais variadas e gratuitas, como meditação, yoga, contação de histórias, oficinas e apresentações artísticas.

O Fórum Virada Sustentável Manaus 2020 encerrará a programação, com debates online envolvendo especialistas de diversas áreas, entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro.

“Esta edição é uma oportunidade importante para levarmos para a população iniciativas inspiradoras, de uma forma bem interativa e contemporânea, propondo caminhos e soluções para a construção de um futuro mais sustentável”, destacou a coordenadora da mobilização em Manaus e coordenadora do Programa Cidades Sustentáveis da FAS, Paula Gabriel.

Serão realizadas atividades virtuais, como yoga, contação de histórias e oficinas. Foto: Divulgação/FAS

Novo formato

Segundo a FAS, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a programação da sexta edição foi adaptada ao cenário atual, para garantir a segurança das pessoas que participam anualmente da mobilização.

O festival terá intervenções visuais em alguns pontos cidade, sem público. O objetivo é levar os pedestres a refletir sobre questões como meio ambiente, consumo consciente, diversidade, saúde e outros aspectos que envolvem a construção de um futuro mais sustentável.

Entre essas ações, estão a projeção de frases em fachadas de prédios, no Centro de Manaus, executada pelo coletivo Projetemos; a pintura de faixa de pedestres nas cores da bandeira LGBTI+, em frente ao Teatro Amazonas, e uma exposição de mensagens escritas em letras gigantes, no Largo São Sebastião.

A programação também inclui o plantio de 200 mudas de árvores na comunidade indígena Parque das Tribos, no Tarumã; a ação ‘Vamos falar de política?’ com a Embaixada Politize! Manaus; a ação ‘O Rio e o Lixo’, que será realizada de forma online pelos projetos Remada Ambiental, Grito D’Água e Igarapés Limpos, no Tarumã Açu; e um Clube do Livro com o especialista em história e historiografia da Amazônia, Joaquim Melo, proprietário da Banca do Largo, localizada em frente ao Teatro Amazonas.

No Instagram @viradasustentavelmanaus ocorrerá a maior parte das atividades, onde o público poderá acompanhar gratuitamente apresentações de artistas regionais, contação de histórias, talks sobre temas diversos, oficinas, sessões de yoga e meditação, entre outras iniciativas.

Fórum online

Ainda no ambiente virtual, no canal ‘Virada Sustentável’, no Youtube, será realizado o Fórum Virada Sustentável Manaus 2020, com a proposta de envolver a articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, coletivos de cultura, movimentos sociais, grupos independentes, entre outros, para apresentar uma visão positiva e inspiradora sobre a sustentabilidade e seus diferentes temas para a população.

O evento terá um painel por dia, sempre às 10h de Manaus e 11h de Brasília, e interações com vídeos educativos que serão divulgados antes, durante e depois da programação.

Abrindo os debates, no dia 30 de novembro acontece o Painel Amazônia, com a participação do superintendente geral da FAS, Virgilio Viana, que mediará o encontro, além do líder indígena, ambientalista e escritor, Ailton Krenak, a pesquisadora sênior do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Rita Mesquita, e a quilombola e militante do Centro de Estudos e Defesa do Negro (Cedenpa) da Rede Fulanas, Maria Luiza.

O segundo dia terá o Painel Diversidade, reunindo a diretora de impacto na consultoria Think Eva e na ONG Think Olga, Maíra Liguori, o ativista LGBT+, comunicador social e homem transgênero, João Hugo, a enfermeira indígena da etnia Witoto, Vanda Ortega Witoto, e o especialista em Sexualidade, Gênero e Direitos Humanos e homem trans, Thiago Costa.

O tema Periferias e Mobilizações em Tempos de Pandemia será debatido no terceiro dia, pelo rapper, articulador cultural e ativista do cenário Hip Hop, Jander Manauara, a indígena do povo Sateré Mawé e ativista ambiental do Fridays For Future Brasil, Samela Sateré Mawé, a superintendente de Desenvolvimento Sustentável de Comunidades da FAS, Valcléia Solidade, e o presidente do bairro Redenção e da Cufamanaus, Wanildo de Lima Bezerra.

Encerrando a programação, o Painel Cidades dos Sonhos discutirá uma cidade possível, sustentável e com políticas públicas que pensem no futuro, junto com a coordenadora do Programa Cidades Sustentáveis da FAS, Paula Gabriel, a curadora do Global Shapers Hub São Paulo, Kamila Camilo, o coordenador da associação ciclística Pedala Manaus, Paulo Aguiar, e a jornalista atuante na área de mobilização social e comunicação para políticas públicas, Mariana Belmont.

Manaus é a única cidade da Região Norte onde o festival é promovido. Foto: Divulgação/FAS

Virada Sustentável

A Virada Sustentável é um movimento que tem a proposta de promover uma ‘virada’ de consciência e estimular o engajamento da sociedade para a melhoria da cidade. Começou em 2011, em São Paulo, e se estendeu para outros lugares, como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, entre outros.

Manaus é a única cidade da Região Norte onde o festival é promovido. Em cinco edições, a iniciativa já alcançou 65,9 mil pessoas, mobilizou mais de 1,8 mil voluntários e realizou mais de mil atividades em aproximadamente 100 pontos da cidade.

De acordo com a FAS, toda a mobilização é baseada nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), envolvendo temas como igualdade de gênero, saúde e bem-estar, consumo e produção responsáveis, educação de qualidade, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis e erradicação da pobreza.

COMPARTILHE