Manaus, 5 de julho de 2022

EVENTOS

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação Fotos: Divulgação

Cirandas de Manacapuru realizam apresentação com transmissão pela TV e internet

A live vai relembrar o Festival das Cirandas de Manacapuru.

Por Eliena Monteiro

Na noite deste sábado (28/8), a live ‘Cirandas de Manacapuru 2021’ vai relembrar o Festival das Cirandas de Manacapuru, suspenso há dois anos por causa da pandemia. A TV A Crítica transmitirá o evento, ao vivo, pela TV e internet, a partir das 20h30. Confira a ordem de apresentação das agremiações e saiba como assistir.

Os grupos prepararam apresentações que lembram a crise sanitária, mas também exaltam a ciência na luta contra a Covid-19 e celebram a vida.

O evento, que ocorrerá sem presença de público, conta com o apoio do Governo do Amazonas. Na manhã deste sábado (28/8), representantes das cirandas se reuniram com órgãos do Estado, para os ajustes dos últimos detalhes para a live.

Da esquerda para a direita: Guerreiros Mura, Tradicional e Flor Matizada durante os ensaios para a live. Fotos: Divulgação

Testes de Covid-19

Neste semana, o Governo do Amazonas divulgou que monitora as medidas de prevenção nos participantes da live do Festival das Cirandas.

Desde quinta-feira (26/8), a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) e a Secretaria Municipal de Saúde de Manacapuru realizam ações de prevenção para a realização do evento.

As medidas incluem testagens de Covid-19 nas equipes artísticas e técnicas que participarão da live.

Ordem de apresentação

A live vai começar às 20h30 deste sábado, e cada ciranda terá 1 hora e 20 minutos para realizar a apresentação.

De acordo com informações da TV A Crítica, a ordem de apresentação dos grupos será a seguinte:

  • Guerreiros Mura
  • Tradicional
  • Flor Matizada
Guerreiros Mura. Foto: Divulgação

Para a live, a Guerreiros Mura traz o tema ‘Folclore e vida’, em alusão à pandemia. A diretora de arte do grupo, Erondina dos Anjos, adianta que a agremiação vai homenagear pessoas que partiram e as famílias das vítimas da Covid. A ciranda também promete apresentar uma cirandada inédita.

“Vamos fazer o resgate de algumas cirandadas antigas. Vamos fazer homenagens. Sabemos que é o momento de relembrar as famílias que perderam seus entes com essa pandemia. Nas cirandas de Manacapuru não foi diferente. A nossa cidade sofreu muito e ainda sofre. Nós vamos fazer uma homenagem às pessoas que tanto contribuíram para a nossa ciranda, que faziam parte da história da nação guerreirense. Mas, também nós precisamos celebrar a vida e essa live traz a esperança de que o nosso festival está vivo, que a nossa maior expressão cultural, que são as cirandas, está viva”, destaca Erodina.

A Ciranda Tradicional também vem acreditando em dias melhores e apresenta o tema ‘Cura: dom de muitas mãos’. “A Ciranda Tradicional quer ser mensageira de esperança. Na esperança do Sagrado. Como num teçume, tecida a muitas mãos. Esperança de cura. De novos dias sem a pandemia circulando pelo mundo”, destaca o grupo, no texto de apresentação.

Tradicional. Foto: Nonato Torres/Ciranda Tradicional

A Flor Matizada buscou inspiração em uma lenda para descrever a relação entre vida e morte, e apresentará o tema ‘Viva!’. O diretor cultural da agremiação, Gaspar Fernandes, autor do tema, resume o conceito da apresentação produzida pela equipe de Criação e Arte da Flor Matizada.

“A ciência apresentou a vacina e a vida lentamente começa a vencer essa batalha, mas nos prega uma dura lição: como superar esse trauma após tantas perdas? A resposta encontrada foi inspirada na belíssima cosmogonia do povo Carajás. Segundo a lenda, no início, eles viviam como peixes nas profundezas dos lagos e só conheciam esse ambiente quando um jovem valente atravessou um brilhante portal e foi conhecer as cores das matas, os animais, a luz do sol e os encantos da lua. Ao voltar, ele convenceu toda a população a lhe seguir, mas foram pedir autorização ao ser supremo Kananciuê, que concedeu essa graça, mas teriam que optar entre ir e perder a eternidade, quando todos eles resolveram abdicar da eternidade e reconhecer a morte, para alcançar a liberdade”, descreve.

“Do mesmo modo, nos resta aceitar a morte, enquanto fenômeno natural, e resgatar o entusiasmo pela vida e pelas boas lembranças dos entes perdidos. Afinal, viver sempre valerá a pena; sempre valerá a pena brincar de ciranda; sempre valerá viver com festa no coração”, completa Fernandes.

Flor Matizada. Foto: Divulgação

A cidade de Manacapuru, que faz parte da Região Metropolitana de Manaus (RMM), está entre as mais castigadas pela Covid-19, no Amazonas. Conforme dados do Governo do Amazonas, até sexta-feira (27/8), o município registrou 9.596 casos de Covid-19 e 398 mortes causadas pela infecção.

Saiba como assistir

A TV A Crítica vai transmitir a live, ao vivo, pela televisão e pelo canal da emissora no YouTube.

O canal da TV A Crítica em Manaus é 514 na NET; na Vivo, é 504 na Vivo, e TV aberta, 4.1.

O canal da emissora no YouTube é: https://www.youtube.com/tv-a-critica.

COMPARTILHE