Manaus, 1 de dezembro de 2022

Teatro

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Espetáculo amazonense ‘Roque Severino’ estreia dia 16 de dezembro

Projeto reúne sete professores e mais de 20 estudantes do curso de Teatro da Escola Supe

Da redação

O espetáculo ‘Roque Severino: todo dia morre gente que antes nem vivia’, produzido por professores e alunos da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), vai estrear no dia 16 de dezembro.

A estreia será no portal MeVer, parceiro do projeto. A peça é livremente inspirada nas obras ‘Morte e Vida Severina’, de João Cabral de Melo Neto (1920-1999), e ‘O Berço do Herói’, de Dias Gomes (1922-1999), com adaptação para uma dramaturgia atualizada em relação às questões sociais e ambientais da região amazônica.

A obra surgiu a partir de uma pesquisa lançada pelo projeto de extensão Arte & Comunidade da UEA, juntamente com o portal MeVer, em alusão aos 21 anos da morte desses autores.

Participam do elenco do espetáculo Alice Toledo, Dimas Mendonça, França Vianna, Gislaine Pozzetti, Iely Costa, Iogan Montefusco, Jade Cascais, Leandro Lopes, Eduardo Oliveira, Kelly Vanessa, Lucas Macedo, Maycon Barão, Nath Diniz, Paulo Tiago de Souza, Rafaela Monteiro, Vitoria Silva e Victória Muller. A sonoplastia é de Guto Martins.

O projeto também vai promover duas oficinas formativas e três rodas de conversa, totalizando seis apresentações até 20 de dezembro. O espetáculo ‘Roque Severino: todo dia morre gente que antes nem vivia’ foi contemplado no Edital nº 002/2020 – Concurso-Prêmio Manaus de Conexões Culturais – Lei Aldir Blanc – Teatro.

Montagem

O espetáculo tem direção artística de Guilherme Carvalho, integrante do Laboratório de Formas Animadas da Universidade de Brasília (Lata/UnB) e fundador do portal MeVer (www.mever.com.br). A direção musical tem assinatura de Diogo Cerrado, músico, arte educador e compositor.

As oficinas serão ministradas pelos professores: Amanda Ayres, Guilherme Carvalho, Francenilza Viana, Gislaine Pozzetti, Davi Lopes, Mariana Libório e Ítalo Almeida. Assinam a produção Gislaine Pozzetti, Jackeline Monteiro e Camila Gaspar. O projeto de comunicação é de Guto Martins, Maria Hagge e Vítor Lima.

O projeto tem coordenação geral da professora Amanda Ayres e direção de palco, coordenação do núcleo de sonoridades e musicalidades, preparação vocal e coordenação de comunicação do professor Luiz Augusto Martins.

Conta com produção executiva da professora Gislaine Pozzetti, coordenação de escrita criativa da professora Fátima Souza, direção de artes de máscaras e de bonecos da professora Vanessa Bordin, com consultoria da professora Francenilza Viana, na perspectiva da pesquisa histórica no contexto amazônico. A iluminação da obra é do professor Jhon Weiner de Castro.

COMPARTILHE