Manaus, 28 de setembro de 2023

Teatro

Foto: Hamyle Nobre/Ateliê 23
Foto: Hamyle Nobre/Ateliê 23 Foto: Hamyle Nobre/Ateliê 23

Companhia abre venda de ingressos para terceira semana do espetáculo ‘Cabaré Chinelo’, em Manaus

Espetáculo está em cartaz no Teatro Gebes Medeiros.

Com informações da assessoria

A companhia ‘Ateliê 23’ abriu a venda de ingressos para a para terceira semana do espetáculo ‘Cabaré Chinelo‘, em Manaus. A peça está em cartaz no Teatro Gebes Medeiros, Centro, neste mês de novembro.

O ‘Cabaré Chinelo‘ é um espetáculo que retrata prostitutas do período da Belle Époque em Manaus.

As apresentações ocorrem às terças e quartas-feiras, com início às 20h.

Sinopse

Com 17 artistas em cena, o “Cabaré Chinelo”, inspirado na pesquisa do historiador Narciso de Freitas e em parceria com a companhia de teatro argentina García Sathicq, propõe ao público uma imersão entre 1900 e 1920, com destaque para registros históricos em recortes dos jornais da época, entre eles tabela de valores de quanto cada mulher valia nas ruas de Manaus e cadastros de saúde.

O material é distribuído em QR Code, na entrada da peça.

O espetáculo de teatro musicado traz uma denúncia, 100 anos depois, sobre mulheres prostituídas em um grande esquema de tráfico internacional e sexual no início do século XX, na capital do Amazonas.

Foto: Hamyle Nobre/Ateliê 23

Bastidores

A preparação para o trabalho que abre a agenda de dez anos do Ateliê 23 teve três meses de duração. A cantora e atriz Vivian Oliveira, que interpreta Mulata, a dona da pensão que abrigava as meretrizes, conta que, após a leitura da pesquisa, buscou uma conexão com a personagem.

“Fui algumas vezes até à praça Dom Pedro, andei pelas ruas que rodeavam o terreno onde ficava pensão. Sobretudo, pensei como seria Ana Maria da Conceição, nome de Mulata, uma mulher muito influente politicamente que era uma espécie de guardiã das mulheres que se prostituíam”, comenta a artista.

“Ela fazia um jogo duplo porque parecia ser uma mãe para elas, mas era só uma empregada dos Kaftens. Tinha um estabelecimento que ficava naquele terreno do INSS, na Sete de Setembro, em frente ao Hotel Cassina”, conta.

Segundo Vivian Oliveira, o local servia para as mulheres levarem os clientes, mas também era onde ocorriam muitas festas e brigas.

“Por várias vezes, Mulata correu risco de perder a pensão. Daí, além de pressionar as meninas para trabalhar mais, ainda vendia o que podia para pagar a hipoteca. Um dia ela perdeu a pensão e comprou outro estabelecimento que ficava na Joaquim Sarmento e montou uma petiscaria”, destaca a atriz.

“Mulata era o instinto de sobrevivência. Por isso ela se tornou uma mulher bruta e disposta a qualquer coisa para não sofrer”, explica.

Foto: Hamyle Nobre

Ingressos antecipados

Os bilhetes antecipados para os dias 22 e 23 deste mês custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) pelo site. Nos dias de apresentação, os ingressos são vendidos a R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia), na entrada do teatro.

As vendas ocorrem no Sympla, sympla.com.br, pelo link:

https://www.sympla.com.br/evento/espetaculo-cabare-chinelo/1795648

Ficha técnica

Taciano Soares assina a direção geral de ‘Cabaré Chinelo’, com a diretora e dramaturga argentina Jazmín García Sathicq na co-direção, e divide a dramaturgia com Eric Lima, que é responsável ainda pela direção musical e coreografia.

No elenco estão Allícia Castro, Ana Oliveira, Carol Santa Ana, Daniely Peinado, Daphne Pompeu, Eric Lima, Fernanda Seixas, Julia Kahane, Sarah Margarido, Sofia Sahakian, Taciano Soares, Thayná Liartes, Vanja Poty e Vívian Oliveira.

A banda e arranjos contam com Cakito, Stivisson Menezes e Yago Reis, a assistência musical com Guilherme Bonates e Sarah Margarido, preparação vocal com Krishna Pennutt e provocação corporal com Viviane Palandi.

A produção do Ateliê 23 tem a assistência de direção de Carol Santa Ana e Eric Lima, figurino de Melissa Maia, cenografia de Juca di Souza, iluminação de Tabbatha Melo, pesquisa histórica de Narciso Freitas, apoio técnico de Titto Silva e Kelly Vanessa, assessoria de comunicação de Manuella Barros e fotografia e vídeo de Hamyle Nobre.

Foto: Hamyle Nobre/Divulgação

Sobre o Ateliê 23

A companhia que completa uma década em agosto de 2023 tem sede no Centro de Manaus desde março de 2015, com 17 espetáculos de teatro e dança no repertório. A partir de 2020, o Ateliê 23 se lança no audiovisual com a obra “Vacas Bravas [online]” e, em 2021, com o projeto “A Bela é Poc”. A principal característica do coletivo é trabalhar com histórias reais, objeto da tese de Doutorado “Bionarrativas Cênicas”, defendida por Taciano Soares, na Universidade Federal da Bahia.

Entre obras de sucessos de público crítica estão “Helena”, selecionado para a mostra a_ponte: cena do teatro universitário do Itaú Cultural e indicado ao Prêmio Brasil Musical; “da Silva” e “Ensaio de Despedida”, indicados para o projeto Palco Giratório, do Sesc; “Vacas Bravas”, “Persona – Face Um” e “A Bela é Poc”.

SERVIÇO

Evento: Estreia do espetáculo ‘Cabaré Chinelo’
Data: 22 e 23 de novembro de 2022
Horário: 20h
Local: Teatro Gebes Medeiros, na Avenida Eduardo Ribeiro, 937, Centro de Manaus
Ingressos antecipados: no Sympla

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!