Manaus, 7 de agosto de 2022

Geral

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Varíola dos macacos: Saiba os sintomas e cuidados para se proteger

A doença é transmitida principalmente por gotículas respiratórias.

Da redação

O Brasil já contabiliza casos da varíola dos macacos, uma zoonose viral que provoca febre, dor de cabeça, gânglios inchados, entre outros sintomas. Transmitida principalmente por gotículas respiratórias, a doença é causada pelo vírus monkeypox. Saiba os cuidados para se proteger.

O que é a varíola dos macacos?

A varíola dos macacos é uma zoonose causada pelo vírus monkeypox, do gênero Orthopoxvirus, pertencente à família Poxviridae.

Há duas cepas geneticamente diferentes do vírus da varíola dos macacos: a cepa da Bacia do Congo (África Central) e a cepa da África Ocidental. As infecções humanas com a cepa da África Ocidental parecem causar doença menos grave em comparação com a cepa da bacia do Congo.

Transmissão

Tradicionalmente, a varíola dos macacos é transmitida principalmente por contato direto ou indireto com sangue, fluidos corporais, lesões na pele ou mucosas de animais infectados.

Já a transmissão secundária ou de pessoa a pessoa pode acontecer por contato próximo com secreções infectadas das vias respiratórias ou lesões na pele de uma pessoa infectada, ou com objetos contaminados recentemente com fluidos do paciente ou materiais da lesão.

Período de incubação

O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Obs.: período de incubação é o tempo entre a exposição ao vírus e a manifestação da doença.

Quais os sintomas?

Febre, dor de cabeça, dores musculares, dor nas costas, gânglios (linfonodos) inchados, calafrios e exaustão.

Tratamento

Não há tratamentos específicos para a infecção pelo vírus da varíola dos macacos. Os sintomas costumam desaparecer espontaneamente, sem necessidade de tratamento.

A atenção clínica deve ser para aliviar os sintomas, lidando com as complicações e prevenindo as sequelas em longo prazo.

Como se proteger?

O uso de máscaras, o distanciamento e a higienização das mãos são formas de evitar o contágio pela varíola dos macacos.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçou a adoção dessas medidas, frisando que elas também servem para proteger contra a Covid-19.

COMPARTILHE