Manaus, 9 de dezembro de 2022

Geral

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação Fotos: Divulgação

No Dia do Radialista, profissionais do AM destacam avanços tecnológicos do rádio e da TV

Gerações de radialistas comentam adaptações à era digital.

Por Edilene Mafra

Com a chegada da era digital, meios de comunicação tradicionais como o rádio e a TV passaram por adaptações nas formas de produção, emissão e transmissão. As mudanças trouxeram exigências aos profissionais da área, os radialistas. Neste sábado (7/11), o Portal Edilene Mafra comemora o Dia do Radialista destacando as superações de gerações de radialistas que atuam em diversas frentes, em Manaus.

O rádio na era digital

O rádio encontrou seu lugar na sociedade após a 1ª Guerra Mundial e, de lá para cá, nunca mais deixou de ser um dos meios de comunicação que mais influenciam na cultura e na forma como as pessoas se comunicam.

Na era digital, adentrou as plataformas da web e também alcança a população por meio dos smartphones e aplicativos. Sua linguagem tem ganhado novas audiências com os podcasts.

A radialista Manoela Moura é repórter da Rádio Rio Mar (103, 5) e vive a rotina do radiojornalismo todos os dias. Ela explica como os profissionais do rádio têm se adaptado à era digital.

“O que muda no dia a dia é que a gente tem que ser multimídia. Precisamos ler bastante, saber gravar, fotografar, além de apurar muito bem as informações que queremos transmitir. É fundamental estarmos juntos das tecnologias. O rádio não é só o radinho de pilha de antigamente”, detalha.

A radialista Manoela Moura é produtora-executiva na Rádio Rio Mar. Foto: Divulgação

O profissionalismo não perde seu valor

Acostumado a entrar nos lares amazonenses todas as manhãs pelas ondas da Rádio Difusora (96,9), Valdir Correia, o ‘Garotinho’, é um dos radialistas mais conhecidos no Amazonas. Ele passou por diversas fases tecnológicas do rádio e chegou à era digital adotando, em seu programa, a interação com os ouvintes por meio das novas mídias.

Para Valdir, a internet é uma aliada do rádio. Ele afirma que a tecnologia só potencializa o trabalho e o profissionalismo de quem atua nesta área.

“O rádio faz um casamento perfeito com a internet. O rádio é perfeito, e não adianta ter a tecnologia da era digital, se não tivermos grandes profissionais. Quando a tecnologia falha, o profissional deve estar preparado para comunicar sobre o assunto que for necessário”, avalia.

O radialista relata que o rádio foi fundamental durante o pico da pandemia do novo coronavírus, por conta do imediatismo e credibilidade. Nos primeiros dias da crise epidemiológica, ouvintes de outras partes do mundo contribuíram com informações sobre a doença.

“Neste período de pandemia fizemos um trabalho muito bom, porque nossos amigos que estavam em outros países – como Itália, Franca, Inglaterra e Espanha – nos informavam e nós saíamos na frente. Eles também aproveitavam para informar aos seus familiares que estavam bem de saúde”, lembra Valdir Correia.

Valdir Correia, o ‘Garotinho’, apresenta programa matinal na Rádio Difusora do Amazonas. Foto: Divulgação/Difusora

TV em tempos de pandemia

A pandemia de Covid-19, que resultou no isolamento social, forçou adaptações aos profissionais da comunicação, já que nunca foi tão necessário informar e entreter o público diante das incertezas trazidas pela doença. Tecnologias de comunicação em tempo real já disponíveis foram a solução para os profissionais de Televisão.

O radialista Oyama Filho, apresentador do programa Paneiro, da Rede Amazônica (afiliada da Rede Globo), destaca a tecnologia digital como uma aliada nesse momento.

“A tecnologia vem evoluindo a cada momento, e a gente vai acompanhando essa evolução. Nesse período da pandemia, em que não podíamos viajar, nem fazer entrevistas na rua, usamos aplicativos de vídeo para entrevistar artistas locais e nacionais para contar como estava sendo a vida deles”, relata.

Para o radialista, a TV nunca mais será a mesma depois dessa reinvenção das rotinas de produção. Mesmo com as dificuldades da pandemia, as novas plataformas aproximaram os profissionais do telespectador/internauta e dos artistas.

“Sem dúvida nenhuma, se não fosse a tecnologia da era digital que traz essas novidades, teria sido muito mais difícil criar conteúdo para a televisão nesse período em que a gente precisava manter o distanciamento social”, relembra Oyama.

Oyama Filho é apresentador do programa Paneiro. Foto: Divulgação

Streaming é o presente

Em tempos de empreendedorismo e economia criativa, os profissionais de rádio e TV também buscam inovar, trazendo soluções em comunicação digital.

O radialista David Simplício percebeu que as lives estavam em alta e decidiu usar a expertise para oferecer um novo negócio: transmissões de vídeo aos moldes do modelo broadcast, com estrutura de sistemas tradicionais de televisão. Junto com o sócio, Klinger Almeida, David criou a Amazon Livestream.

“Coloquei em prática o que aprendi nos tempos de faculdade, conteúdos sobre estética da imagem, fotografia, produção, entre outras coisas. Procurei inovar com um trabalho sério e profissional por ter conhecimentos na área de TV e vídeo. Fazer live com o celular qualquer um pode fazer, mas com tudo o que aprendi na minha formação, posso atender melhor os clientes”, ressalta.

David Simplício (no primeiro plano) criou a empresa Amazon Livestream junto com o sócio, Klinger Almeida (ao fundo). Foto: Divulgação

Dia do Radialista

No Brasil, o Dia do Radialista é comemorado em duas datas: 21 de setembro e 7 de novembro. Incialmente, os profissionais de rádio e TV celebravam seu dia em 21 setembro, em alusão a conquistas trabalhistas no governo de Getúlio Vargas. Porém, com a assinatura do Decreto de Lei N. 11.327 de 24 de julho de 2006, a data oficial passou a ser 7 de novembro, em homenagem a Ary Barroso, artista que fez sucesso na fase de ouro do rádio no Brasil.

São considerados radialistas o que cursam a graduação de Rádio e TV ou os profissionais que atuam nesses dois meios de comunicação.

A profissão de radialista é regulamentada pela Lei N. 6.615 de dezembro de 1978. A lei reconhece o exercício legal na profissão e lista as funções exercidas por profissionais de inúmeros setores de rádio e Televisão.

COMPARTILHE