Manaus, 13 de julho de 2024

Cultura

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação Foto: Divulgação

Festival Lona Aberta publica série de videoaulas sobre técnicas circenses

São tutoriais de malabares, maquiagem circense e outros vídeos.

Com informações da assessoria

A Cacompanhia Artes Cênicas disponibilizou uma série de videoaulas que compõe a programação pedagógica do Festival de Circo Lona Aberta, nas plataformas digitais do grupo. São tutoriais de malabares, parada de mão, mágica para iniciantes, confecção de aparelhos circenses com material reciclado e maquiagem circense. As ações formativas têm duração de 15 minutos.

Os vídeos foram publicados no IGTV e no canal da companhia no YouTtube (@cacompanhia).

O Festival de Circo Lona Aberta está em sua primeira edição. O projeto foi contemplado no edital Prêmio Feliciano Lana, que recebeu recursos da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, operacionalizada no Estado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

Vídeos

Ao todo, o festival disponibilizou cinco vídeos, com participação de artistas como Teffy Rojas na defesa da arte do malabares, Rafael Hounsell na apresentação de truques na introdução a mágica, Leka Mariano, Guilherme Basilio e Nirely Araújo na confecção de materiais circenses, José Arenas com exercícios para quem deseja experimentar a técnica de parada de mão e Jonatas Sales, que compartilha conhecimento sobre o universo da maquiagem artística inspirada na estética do Cirque du Soleil, além de dicas de produtos e aplicação.

coordenador geral do festival, Jean Palladino, explicou que as videoaulas são voltadas a quem desejar conhecer mais sobre as técnicas circenses. Já as oficinas têm como público-alvo pessoas mais experientes em cada segmento.

“O Lona Aberta vem para difundir as artes circenses e, por isso, pensamos com muito cuidado nas ações pedagógicas, pois é um trabalho de base. O Amazonas tem jovens que acabam flertando com alguma habilidade circense, mas ainda não tem muitos espaços acessíveis. Então, a proposta é começar mesmo um trabalho de formiguinha, para que, no futuro, o circo seja mais potente no Estado”, destacou.

Jonatas Sales compartilha conhecimento sobre o universo da maquiagem artística. Foto: Divulgação

Programação

Entre os temas das oficinas realizadas no evento online estão ‘Palhaço Latinoamericano’, sobre a construção do personagem e técnicas do riso, com o argentino Palhaço Tomate, de Victor Avalos; ‘História do circo e comicidade por uma perspectiva trans’, voltado para artistas LGBTQIA+; ‘Laroyê Mojúbà: O Riso Pede Passagem’, com Vanessa Rosa e Terreiros do Riso; ‘Workshop Jogos On-line de Palhaçaria Feminista’, com Circo di SóLadies, Kelly Lima, Tatá Oliveira e Verônica Mello e ‘Lab Bambu – Jogo das Formas em Cena On-line’, com Poema Mühlenberg, da Cia Nós No Bambu, de Brasília.

Já as atrações têm comando de Charles Chocolate, que, entre os números, faz aparições cômicas e descontraídas.

O Lona Aberta encerra no domingo (25/4). Durante a programação, todos os dias, os eventos terminavam com o palhaço Caco, em um momento de integração entre os grupos, num formato de talk-show, com jogos e troca de experiências.

Além do coordenador geral, Jean Palladino, a ficha técnica do festival de circo tem Francine Marie como coordenadora pedagógica, Taciano Soares como coordenador executivo, Ana Oliveira como diretora de produção, Carol Calderaro na coordenação técnica e Kelly Vanessa na produção executiva.

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!