Manaus, 30 de novembro de 2022

Cultura

Foto: Divulgação/Manauscult
Foto: Divulgação/Manauscult Foto: Divulgação/Manauscult

Exposição fotográfica homenageia vítimas da Covid-19, no AM

Exposição será nesta segunda-feira (21/12), no Aeroporto Eduardo Gomes.

O projeto ‘Números Que Contam Histórias’ lançará, nesta segunda-feira (21/12), uma exposição fotográfica em homenagem às vítimas da Covid-19 no Amazonas. O evento acontecerá, a partir das 10h, no auditório do terraço panorâmico do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

A exposição será composta por dez totens multifuncionais de álcool em gel, com homenagens e fotos que representam diferentes classes de trabalhadores e pessoas do cotidiano, em diferentes momentos da pandemia. Os totens também contam com mensagens de conscientização e informações sobre os protocolos de enfrentamento ao novo coronavírus.

Além disso, QR codes específicos redirecionam os visitantes para as plataformas digitais do projeto, em que se pode acessar mais detalhes sobre as biografias dos homenageados. Os totens estarão espalhados por lugares estratégicos do aeroporto para uso dos visitantes.

“O projeto integra essa intensa ocupação cultural, que Manaus tem visto ao longo deste mês de dezembro, com uma vasta pluralidade de produtos culturais sendo desenvolvidos e oferecidos gratuitamente à população, seja de maneira virtual ou presencial, a partir dos mais de 500 contemplados pelos editais da Lei Aldir Blanc”, destacou o diretor de Cultura da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Márcio Braz.

A exposição será composta por dez totens multifuncionais de álcool em gel. Foto: Divulgação/Manauscult

Segundo a idealizadora do projeto, Liliane Costa, a ideia surgiu depois de conhecer uma das vítimas da doença, no período em que também acompanhou a mãe hospitalizada pela Covid-19, hoje curada. A vivência despertou em Liliane a vontade de representar sua solidariedade com as vítimas por meio das artes visuais. Para o projeto, foram realizadas entrevistas com familiares e amigos, que contaram o sentimento de perder entes queridos.

“A proposta das entrevistas não é mostrar choro ou dor, embora tenha sido inevitável para muitos, durante todo o levantamento biográfico, mas a principal proposta é exaltar a alegria e as qualidades dos homenageados e suas realizações em vida”, afirmou Liliane.

COMPARTILHE