Manaus, 20 de setembro de 2021

Amazônia

Foto: Divulgação/Nama
Foto: Divulgação/Nama Foto: Divulgação/Nama

Coletivo de arquitetura realiza exposição no Museu da Amazônia

A mostra segue em cartaz até dia 4 do mês de novembro.

Com informações da assessoria

O coletivo Núcleo Arquitetura Moderna na Amazônia (Nama), da Faculdade de Tecnologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), realiza a exposição ‘Arquitetura Resiliente na Amazônia’ (Resilient Amazon Architecture) na Trilha Sensorial no Museu da Amazônia (Musa), Zona Norte de Manaus. A mostra recebe visitação do público desde sábado (4/9) e segue em cartaz até 4 de novembro.

Conforme informações do coletivo, a exposição também conectará a Amazônia ao continente asiático, na Seoul Biennale of Architecture and Urbanism 2021. A bienal ocorrerá em Seul, capital da Coreia do Sul, de 16 de setembro a 31 de outubro.

A mostra ficará em exposição em outro espaço construído pelo Nanma no Dongdaemum Design Plaza, na capital coreana. O local contará com a presença virtual da floresta do Musa, representando a existência e arquiteturas que valorizem a permanência da Amazônia.

Foto: Divulgação/Nama

Bienal

A Bienal de Arquitetura é a primeira da Ásia, e o Nama é o primeiro representante de arquitetos do Estado do Amazonas. Mais de 1.100 propostas foram enviadas de cidades de todos os continentes em um processo seletivo que consistia em várias etapas, e teve a curadoria do renomado arquiteto francês Dominique Perrault.

Somente três cidades brasileiras foram selecionadas e estarão participando na Thematic Cities representando a arquitetura brasileira: Nama (Manaus), Messina & Rivas (São Paulo) e Gustavo Utrabo (Formoso do Araguaia).

Foto: Divulgação/Nama

Musa

De acordo com o coordenador do Nama, Marcos Cereto, a intenção de sua curadoria foi representar a Floresta Amazônica na Bienal de Seul.

“A proposta do Nama expõe arquiteturas em Manaus que valorizam os recursos humanos e as tecnologias disponíveis na metrópole da Amazônia. Assim como os frutos das nossas árvores são apreciados em todo o mundo, temos também os frutos da indústria que garantem a preservação da floresta e o meio de sobrevivência para a população. As obras representam a conexão entre o natural x artifical, e mostram uma Amazônia utópica onde é possível conciliar o artesanal com o industria”, explica Marcos Cereto.

A exposição Arquitetura Resiliente na Amazônia (Resilient Amazon Architecture) reúne 15 obras e projetos realizados em Manaus.

Os arquitetos realizadores são: Alexia Convers, AMZ Arquitetos, Diogo Lazari, Laurent Troost, Marcelo Borborema, Muna Hauache, Paulo Lindenberg, Roberto Moita, Santos Damasceno Arquitetos, Vitor Pessoa e Welton Oliva.

Foto: Divulgação/Nama

COMPARTILHE