Manaus, 16 de julho de 2024

EVENTOS

Novo talento da música instrumental, amazonense faz show no Teatro Amazonas Novo talento da música instrumental, amazonense faz show no Teatro Amazonas

Novo talento da música instrumental, amazonense faz show no Teatro Amazonas

Apresentação ocorre dia 18 de junho de 2023, às 19h.

Com informações da assessoria

O músico Mateus Ribeiro, novo talento da música instrumental amazonense, faz show no Teatro Amazonas no dia 18 de junho de 2023, às 19h. O espetáculo ‘O Rugido‘ foi idealizado pelo mais artista. Os ingressos estão à venda.

O show conta com produção de Rafaela Margarido, da Companhia Trilhares, e participação especial de músicos locais.

A apresentação foi contemplada no edital da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas (SEC-AM) para uso do Teatro Amazonas.

Segundo o artista, o show recebeu o nome emitido pelo leão porque representa seu grito de liberdade. “O Rugido será uma apresentação única, cem por cento autoral, da composição à liberdade de improvisação”, explicou Mateus.

O instrumentista é músico há 13 anos e professor na Casa Som Amazônia, espaço cultural localizado na Travessa Planalto, Parque 10, Zona Centro-Sul de Manaus.

Segundo a produção, Mateus já se apresentou duas vezes na Casa Som Amazônia, com lotação máxima, mas o lançamento no Teatro Amazonas será pioneiro no gênero instrumental pela grandiosidade do espaço.

O SHOW

Para o músico, o objetivo principal do show é mostrar ao público que a música instrumental tem espaço e que pode fazer parte do dia a dia das pessoas.

O Rugido traz influências de rock and roll, MPB e soul music e promete fazer o público se emocionar. “A música instrumental permite essa liberdade para misturar ritmos”, destacou a estrela do show.

Durante a apresentação, o público também poderá conferir o primeiro trabalho autoral de Mateus Ribeiro, o single ‘O Reflexo‘, que foi criado há cinco anos.

A música leva o selo Casa Som Amazônia e será lançada no início de junho. “Foi uma composição que desenvolvi na faculdade. Apresentei no meu recital de formatura e, de lá pra cá, ela já está completamente diferente e mais amadurecida”, disse o instrumentista.

Ao todo, são oito músicas, entre elas: Lamentos, Primavera Outono, e Toró. “Algumas delas surgiram no período da faculdade e outras são mais recentes, criei ainda durante a pandemia, como a Cidade do Sol, que fiz em 2021, quando fui à Fortaleza (CE), uma cidade que fez muito parte da minha infância”, comentou o instrumentista que está iniciando carreira solo.

ARTISTAS

O Rugido contará com Mateus na guitarra, Lucas Mesquita no piano, Maykon Garcia no contrabaixo, e Abner Pires na bateria. “Além disso, haverá três participações especiais, de músicos que eu acompanho: Matheus Santaella, Gabriel Fonseca, e Beatriz Procópio, que também estão lançando trabalhos no mesmo período”, adiantou o músico.

A apresentação também contará com a poesia da escritora e professora Jackeline Monteiro. Mateus explicou que a ideia surgiu porque, geralmente, a música instrumental é desprovida da voz e do canto.

“Muitas vezes, o público pode não captar a mensagem da música, por isso a participação da Jackeline é essencial. Ela fez poemas em cima das minhas composições e, entre uma música e outra, ela recita”, disse.

“E será um show com inclusão e acessibilidade, teremos a participação de bailarinas que vão traduzir para pessoas surdas, a música e a poesia por meio da dança”, acrescentou a produtora cultural Rafaela Margarido.

INGRESSOS

Os ingressos para ‘O Rugido’ estarão à venda na bilheteria do Teatro Amazonas a partir de segunda-feira, 22 de maio de 2023. Os amantes de música instrumental poderão adquirir pelo valor de R$ 29,99. O show conta com patrocínio da Maricotas e TechSound.

CARREIRA

A paixão de Mateus Ribeiro pela música surgiu ainda na infância. O interesse teve influência da família. “Meu bisavô paterno Alexandre Rodrigues foi violinista na orquestra, e o meu pai, Claudino, é apaixonado por rock, se você for em algum momento na minha casa, sempre tá tocando alguma música”, contou o músico.

Aos nove anos de idade, o artista ganhou do pai o primeiro violão. Logo em seguida, vieram as aulas no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

Aos 12, Mateus ganhou uma guitarra da avó. Era para dar a certeza de qual caminho trilhar. “Me formei há pouco mais de dois anos na Faculdade de Música Souza Lima, em São Paulo”, disse o músico.

Hoje, Mateus é professor de violão, guitarra e ukulele na Casa Som Amazônia. Ele também faz parte da banda Jungle Peppers, que costuma tocar na noite manauara, e faz tributo à californiana Red Hot Chili Peppers. “Tenho uma música que o nome é Pimenta Malagueta, que traz um groove americano, inspirado na banda”, revelou o instrumentista.

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!