Manaus, 7 de agosto de 2022

Turismo

Foto: Divulgação/Semmas
Foto: Divulgação/Semmas Foto: Divulgação/Semmas

Parque do Mindu começa a ser revitalizado

Espaço, na Zona Centro-Sul de Manaus, chega aos 28 anos em 2021.

Da redação

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) começou a revitalização do Parque Municipal do Mindu, localizado no bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus. O espaço, que é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, completa 28 anos de criação em 2021.

Segundo a Prefeitura de Manaus, os trabalhos tiveram início na sexta-feira (12/2) e fazem parte de um plano de revitalização dos parques e unidades de conservação municipais que a Semmas vai fazer.

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antônio Ademir Stroski, os parques e unidades de conservação de Manaus precisam de intervenção urgente. Ele afirma que houve descaso da administração anterior.

“Visitamos esses espaços e o que encontramos foram relatos de dificuldades pela desatenção com os cuidados habituais, fornecimento de ferramentas, equipamentos, insumos, manutenção e apoio aos servidores lotados nessas unidades, que se sentiram abandonados, sem a estrutura mínima de trabalho para receber qualquer cidadão. Infelizmente, um descaso muito grande com esses espaços”, disse Stroski.

Antônio Ademir Stroski (à direita) diz que os parques e unidades de conservação de Manaus precisam de intervenção urgente. Foto: Divulgação/Semmas

Revitalização

Na sexta, a Semmas fez o corte da grama e limpeza dos canteiros na área do estacionamento e das vias internas; varrição e remoção dos resíduos com aproveitamento dos orgânicos para adubação de cobertura das plantas; limpeza das vias de circulação cimentadas; varrição geral; remoção de vegetação morta na parte aérea de árvores; limpeza geral nas edificações e banheiros habitualmente utilizados e retirada de plantas invasoras em canteiros e passeios.

Parque recebeu limpeza no estacionamento e vias da área interna. Foto: Divulgação/Semmas

“No trecho dentro do parque, o leito e margens do igarapé do Mindu, o fluxo e velocidade da água, as cheias, o assoreamento e o arraste de resíduos e efluentes para o interior do parque, serão objetos de avaliação para identificar quais medidas podem ser implementadas para mitigar os impactos negativos atualmente observados”, informou Stroski.

No sábado (13/2), as atividades contaram com o apoio da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

De acordo com Stroski, os serviços e obras serão definidos neste mês, após orçamento detalhado. A secretaria informou que vai contar com assessoramento de serviço de engenharia a ser contratado.

Os recursos para as obras deverão ser obtidos de Termos de Ajustamento de Conduta Ambiental e de parceiros e apoiadores.

COMPARTILHE