Manaus, 28 de novembro de 2022

Coronavírus

Foto: Dhyeizo Lemos/Semcom
Foto: Dhyeizo Lemos/Semcom Foto: Dhyeizo Lemos/Semcom

David Almeida decreta situação de emergência em Manaus por 180 dias

Decreto autoriza, entre outras medidas, contratação temporária.

Da redação

Diante de um novo aumento dos casos de Covid-19 em Manaus, prefeito da cidade, David Almeida, declarou ‘situação anormal’, caracterizada como emergencial, em Manaus. O decreto valerá pelo período de 180 dias.

Publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de segunda-feira (4/01), o Decreto nº 5.001 autoriza, entre outras medidas, contratação temporária de pessoal, de serviços e aquisição de bens e materiais, para conter o avanço da pandemia.

Outros três decretos municipais suspendem autorizações para eventos, proíbem o corte das contas de água e esgoto e o estabelecem o teletrabalho na administração municipal.

“Estamos adotando todas as medidas necessárias para contribuir decisivamente para o enfretamento da Covid-19, especialmente neste momento em que a cidade registra aumento de casos e, infelizmente, de mortes. Estamos preocupados com a população em geral, com aglomerações, com nossos servidores e com as pessoas mais carentes, que não podem ser penalizadas, ter as contas de água cortadas nesse momento tão difícil, em que muitos também perderam o emprego”, disse o prefeito.

Conforme decreto de emergência, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) fica autorizada a constituir grupo gestor da Sala de Situação de Vigilância em Saúde, para enfrentamento da situação causada pelo novo coronavírus. Também caberá à pasta planejar e controlar medidas a serem adotadas, a partir de diretrizes do Ministério da Saúde (MS).

A publicação prevê a articulação com os governos federal e estadual para combater a emergência, bem como meios necessários para implantação do ‘Plano Operativo para a Pandemia do Coronavírus’.

O decreto considera nota técnica da Semsa e o cenário epidemiológico da pandemia de Covid-19, quando, em Manaus, apresentava mais de 80 mil casos confirmados e 3.361 mortes pela doença. Atualmente, a cidade já registra 83.440 infectados desde o início da pandemia, com 3.444 óbitos, de acordo com dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Estado.

COMPARTILHE