Manaus, 1 de abril de 2023

Geral

Foto: Valdo Leão/Semcom
Foto: Valdo Leão/Semcom Foto: Valdo Leão/Semcom

Com cheia do Rio Negro, prefeito decreta situação de emergência em Manaus

Decreto, assinado por David Almeida, terá vigência de 90 dias.

Da redação

O prefeito de Manaus, David Almeida, decretou situação de emergência na capital, nesta quinta-feira (6/5). A medida ocorre em virtude da possibilidade uma cheia histórica do Rio Negro, conforme previsto pelo monitoramento hidrológico. O decreto terá vigência de 90 dias.

O Decreto nº 5.078/2021 foi publicado na edição nº 5.091, do Diário Oficial do Município (DOM) desta quinta-feira.

“Já estamos fazendo várias ações de prevenção para amenizar o máximo possível o sofrimento dos moradores, tanto da área urbana quanto da área ribeirinha de Manaus, que são atingidos pela cheia. Conforme as informações do monitoramento hidrológico este ano, devemos ter a quinta maior cheia do rio Negro, então vamos nos preparar, para que em meio à pandemia de Covid-19, Manaus não sofra com um fenômeno natural, que ocorre anualmente”, disse David Almeida.

Trecho da Rua dos Barés, no Centro de Manaus, foi interditado por conta da cheia do Rio Negro. Foto: Valdo Leão/Semcom

Na segunda-feira (4/5), em reunião com o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves, em Brasília (DF), o prefeito conseguiu apoio federal para o município. A intenção é atender as 8.474 mil famílias que serão afetadas pela subida do Rio Negro em Manaus.

Na manhã desta sexta-feira (7/5), David Almeida, o vice-prefeito e o secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, farão uma visita técnica ao Centro da cidade, para avaliar a situação da área e traçar estratégias de enfrentamento à cheia 2021. Integrantes do Comitê Especial de Enfrentamento das Cheias Fluviais do Município, instituído na última quarta-feira (5/5), também estarão presentes na visita.

Nessa quinta-feira, a cota do Rio Negro atingiu 29,30 metros.

Atribuições

Pelo decreto nº 5.078/2021, que institui a situação de emergência em Manaus, a Casa Militar fica autorizada a adotar as medidas necessárias ao mapeamento dos riscos e minoração dos efeitos da cheia do rio Negro, entre elas, planejar, organizar, coordenar e controlar medidas a serem empregadas durante a situação de anormalidade causada pela enchente.

Também será responsável por divulgar à população as informações necessárias sobre a situação emergencial e o resultado das ações para controle dos efeitos da cheia do Rio Negro em Manaus, além de adotar os meios necessários para implantação do plano operativo para a cheia.

Os demais órgãos da esfera municipal – que integram o Comitê Especial de Enfrentamento das Cheias Fluviais do Município – também ficam corresponsáveis pelo enfrentamento das ações de mapeamento e controle dos efeitos da cheia do rio Negro.

COMPARTILHE

error: Este conteúdo está protegido!